Porto Alegre, quinta-feira, 26 de novembro de 2020.
Feriado nos EUA - Dia de Ação de Graças.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 26 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Emprego

- Publicada em 11h34min, 26/11/2020.

Caged tem saldo positivo na geração de empregos e aponta para retomada da economia

Em outubro, pelo quarto mês consecutivo, o número de admissões foi maior do que a de demissões no País

Em outubro, pelo quarto mês consecutivo, o número de admissões foi maior do que a de demissões no País


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Pelo quarto mês consecutivo, o Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged) registrou saldo positivo na geração de empregos. Foram abertas 394.989 vagas com carteira assinada no mês, melhor resultado não apenas para 2020 como também o melhor da história, conforme o Ministério da Economia, que divulgou os dados nesta quinta-feira (26).
Pelo quarto mês consecutivo, o Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged) registrou saldo positivo na geração de empregos. Foram abertas 394.989 vagas com carteira assinada no mês, melhor resultado não apenas para 2020 como também o melhor da história, conforme o Ministério da Economia, que divulgou os dados nesta quinta-feira (26).
O valor é a diferença entre as 1.548.628 admissões ao longo do mês e os 1.153.639 desligamentos no mesmo período. Para o ministério, o desempenho reforça a retomada da economia brasileira após os efeitos econômicos gerados pela pandemia de Covid-19.
O estoque, que é a quantidade total de vínculos ativos, em outubro, chegou a 38.638.484, variação de 1,03% em relação ao estoque do mês anterior.
No acumulado do ano, o saldo é negativo, ou seja, houve mais desligamentos do que admissões. Foram 12.231.462 admissões e 12.402.601 desligamentos, gerando um saldo de 171.139. Mesmo assim, de acordo com o Novo Caged, o País perdeu menos empregos em 2020 do que nas crises de 2015 e 2016.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/11/26/206x137/1_saldo_caged-9198419.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5fbfbc5417a8c', 'cd_midia':9198419, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/11/26/saldo_caged-9198419.jpg', 'ds_midia': 'Evolução do saldo no Novo Caged em 2020', 'ds_midia_credi': 'Ministério da Economia/Divulgação/JC', 'ds_midia_titlo': 'Evolução do saldo no Novo Caged em 2020', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '349', 'align': 'Left'}
Mesmo após quatro meses de recuperação, o saldo acumulado no ano é negativo Imagem: Ministério da Economia/Divulgação/JC
Dos cinco grandes grupamentos de atividades econômicas, quatro tiveram saldo positivo no emprego em outubro. O principal foi o setor de Serviços, que abriu 156.766 novas vagas. No Comércio foram criados 115.647 postos; na Indústria, 86.426; na Construção, 36.296.

Diferença entre admissões e desligamentos na Região Sul é positiva

O mês foi positivo nas cinco regiões do país, com destaque para o Sudeste, onde o saldo ficou em 186.884 postos; e no Sul, com resultado de 92.932. No Nordeste foram criados 69.519 empregos formais; no Centro-Oeste, 25.024; no Norte, 20.658 vagas.
Também houve saldo positivo em todas as unidades federativas, com destaque para São Paulo (119.261 novas vagas); Minas Gerais (42.124) e Paraná (33.008). Em termos relativos, os estados com maior variação em relação ao estoque do mês anterior foram Santa Catarina, Ceará e Amazonas.
Comentários CORRIGIR TEXTO