Porto Alegre, quinta-feira, 19 de novembro de 2020.
Dia da Bandeira.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 19 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

indústria

- Publicada em 18h53min, 19/11/2020.

Mercopar encerra em Caxias do Sul como edição histórica

Robôs foram usados para auxiliar no cumprimento das regras sanitárias

Robôs foram usados para auxiliar no cumprimento das regras sanitárias


RAFAEL CAVALLI/DIVULGAÇÃO/JC
Roberto Hunoff, de Caxias do Sul
Encerrada nesta quinta (19), em Caxias do Sul, a 29ª edição da Mercopar - Feira de Inovação Industrial foi definida por André Vanoni de Godoy, superintendente do Sebrae RS, como maravilhosa e que entrará para história como demonstração de coragem, resiliência e disciplina de todos os envolvidos. Para ele, mesmo em meio a um cenário de pandemia, o evento se superou e conseguiu ser melhor que a edição passada do ponto de vista qualitativo. “Em termos de tamanho foi menor em expositores e visitantes pela limitação imposta em função dos protocolos sanitários. Mas qualitativamente foi muito melhor”, destacou.
Encerrada nesta quinta (19), em Caxias do Sul, a 29ª edição da Mercopar - Feira de Inovação Industrial foi definida por André Vanoni de Godoy, superintendente do Sebrae RS, como maravilhosa e que entrará para história como demonstração de coragem, resiliência e disciplina de todos os envolvidos. Para ele, mesmo em meio a um cenário de pandemia, o evento se superou e conseguiu ser melhor que a edição passada do ponto de vista qualitativo. “Em termos de tamanho foi menor em expositores e visitantes pela limitação imposta em função dos protocolos sanitários. Mas qualitativamente foi muito melhor”, destacou.
A feira teve 235 expositores e a expectativa era de 10 mil visitantes. O balanço com volume de negócios e número oficial de visitantes será divulgado nesta sexta. Godoy assinalou, no entanto, que feira cumpriu com seu papel de propiciar negócios, melhorar o faturamento e subsidiar o setor com ferramentas para preparar-se para o que virá em 2021.
O superintendente lembrou que os protocolos foram construídos com a participação de outras entidades e realização de feiras testes em Bento Gonçalves e Caxias do Sul, além de articulações com o governo para assegurar segurança a todos os envolvidos. Ele acredita ser possível manter nas próximas edições algumas destas medidas, como corredores mais amplos e sistemas de higienização.
Considera pouco provável, no entanto, repetir o formato de estandes distanciados. Argumenta que é preciso criar espaços para a participação de mais expositores e admitiu a possibilidade de usar mais um pavilhão – nesta edição foram usadas as instalações do Centro de Eventos e do pavilhão um, totalizando 15 mil metros quadrados de área. Também entende como viável manter as plataformas digitais pelas quais foi possível acompanhar todos os conteúdos apresentados, bem como realizar negócios. “Vamos avaliar o evento internamente e considerar o feedback dos clientes para a tomada das decisões”.
Godoy assegurou a realização da 30ª edição em Caxias do Sul, em data ainda não definida. Destacou que os promotores receberam total apoio do poder público, que atendeu pedidos de melhorias na estrutura do parque, e participou ativamente na definição dos protocolos de segurança.

Tecnologia em defesa da saúde

A tecnologia auxiliou no cumprimento dos protocolos de segurança sanitária adotados na Mercopar. O evento contou com robôs para apoiar em tarefas como veicular mensagens de cuidados, medir a temperatura dos visitantes e conferir o uso da máscara.
Um holograma humano 3D dava as boas-vindas ao público e reforçava os cuidados com a segurança contra o coronavírus. A tecnologia funciona por sensor de presença, de modo que, toda vez que uma pessoa passava, era acionada uma mensagem previamente gravada. Em parceria com a Marcopolo Next, a Mercopar dispôs do safe check-in, um totem de autoatendimento, que contribuiu na prevenção de contaminações. A solução tem leitor de temperatura, verificação de uso de máscara, validador de acesso e álcool gel.
Outra atração foi o Robô Coronatech, um humanoide com interface amigável que tinha como uma de suas funções fazer a aferição de temperatura dos participantes, detectando quem estivesse com valor superior a 37,8°C. O Coronatech também foi responsável pela gestão de densidade de público, que consiste na contagem de quem entra e sai do evento.
A utilização dessas tecnologias fez parte de uma série de medidas adotadas pelos organizadores da Mercopar. Para a realização do evento, visando à segurança de todos os envolvidos, foram estipulados rígidos protocolos de segurança sanitária visando evitar a disseminação da Covid-19. Com credenciamento online, a feira teve controle de acessos dos participantes e distanciamento necessário. Também houve intensiva higienização dos espaços e estações com álcool gel, além de uma série de outros cuidados.
Comentários CORRIGIR TEXTO