Porto Alegre, quarta-feira, 18 de novembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 18 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

indústria

- Publicada em 19h08min, 18/11/2020.

Palestrante cita adaptabilidade como grande conquista do ano na Mercopar

Igreja alertou para o desafio de manter a empolgação pela inovação após a pandemia

Igreja alertou para o desafio de manter a empolgação pela inovação após a pandemia


Rafael Cavalli/Divulgação/JC
Roberto Hunoff, de Caxias do Sul
Autor do livro “Conveniência é o nome do negócio” e co-founder da plataforma AAA, Arthur Igreja comandou, nesta quarta, a palestra Transformação digital: As organizações do futuro, durante o Fórum Encadear Summit, que integra a programação da Mercopar, em Caxias do Sul. Ele iniciou com um panorama do que a pandemia deixou para se pensar com relação a inovação e negócios. 
Autor do livro “Conveniência é o nome do negócio” e co-founder da plataforma AAA, Arthur Igreja comandou, nesta quarta, a palestra Transformação digital: As organizações do futuro, durante o Fórum Encadear Summit, que integra a programação da Mercopar, em Caxias do Sul. Ele iniciou com um panorama do que a pandemia deixou para se pensar com relação a inovação e negócios. 
“Este ano é para celebrar a capacidade de adaptabilidade do ser humano. A gente aprendeu a lidar com um mundo em pandemia, por isso, em 2021, saberemos como agir. Também estamos usando ferramentas que já estavam prontas, otimizando recursos, alcançando mais pessoas e tendo um aumento de eficiência”, afirmou. 
Igreja aposta que o país sairá melhor da crise, mas enfrentará o desafio de manter a empolgação para a inovação após a pandemia. O palestrante ressaltou a aceleração das transformações vividas durante os últimos meses. “Era um ano que ninguém queria e que trouxe vários pontos negativos, mas para o desenvolvimento tecnológico das empresas era o que todo mundo precisava, pois foi um aprendizado em escala sem precedentes”.
Segundo Igreja, essa mudança de hábitos premia os preparados e quebra preconceitos. “O maior ganho não é o e-commerce e a entrega rápida, isso é o óbvio, mas o e-service, pois tínhamos muito preconceito com a prestação de serviços a distância”. Para ele, isso é o que faz uma empresa ser inovadora, pois não adianta ter a tecnologia se não resolver o problema do cliente. “Inovação é criar alternativas para resolver problemas. Por isso, a importância da conexão. A grande empresa tem acesso a mercado e recursos, contudo tem dificuldade de escutar a reclamação diretamente do cliente, mas isso é possível no pequeno e, na startup, está o insumo de inovação”, assegurou.
Na abertura da programação, o diretor técnico do Sebrae RS, Ayrton Pinto Ramos, destacou a relevância da temática do Encadear. “A oportunidade de aproximar as grandes empresas para que possam inovar a partir do encadeamento com as pequenas é de um valor muito significativo”. Para o diretor técnico do Sebrae Nacional, Bruno Quick, o encadeamento produtivo é tema central para empresas competitivas, pois é uma estratégia de negócio. “Hoje os pequenos fazem parte do modelo de negócio das grandes empresas, seja para suprir ou distribuir”, apontou.
A feira segue até esta quinta (19), com funcionamento das 14h às 20h. A inscrição deve ser feita pelo endereço bit.ly/CredenciamentoMercopar. As atividades podem ser acompanhadas ao vivo a partir de cadastramento em bit.ly/MercoparDigital.
Comentários CORRIGIR TEXTO