Porto Alegre, quarta-feira, 18 de novembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 18 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 09h52min, 18/11/2020.

Dólar está volátil, mas cai com exterior; investidores aguardam Campos Neto

Dólar comercial caía 0,18%, a R$ 5,32

Dólar comercial caía 0,18%, a R$ 5,32


MARCOS SANTOS/USP IMAGENS/DIVULGAÇÃO/JC
O dólar no mercado à vista está volátil na manhã desta quarta-feira (18). Um viés de baixa da moeda prevalecia por volta das 9h20min, acompanhando o dólar fraco no exterior diante de um leve apetite por risco nas bolsas europeias e futuros de Nova Iorque após as notícias de eficácia de vacinas contra o coronavírus Coronavac e Pfizer - e indicadores econômicos da Europa.
O dólar no mercado à vista está volátil na manhã desta quarta-feira (18). Um viés de baixa da moeda prevalecia por volta das 9h20min, acompanhando o dólar fraco no exterior diante de um leve apetite por risco nas bolsas europeias e futuros de Nova Iorque após as notícias de eficácia de vacinas contra o coronavírus Coronavac e Pfizer - e indicadores econômicos da Europa.
Às 9h23min desta quarta-feira, o dólar à vista caía 0,18%, a R$ 5,3218. O dólar futuro para dezembro recuava 0,23%, a R$ 5,3240.
Mas ainda há um pano de fundo de cautela com a segunda onda de coronavírus nos EUA e Europa e os problemas na área fiscal no Brasil que limitam a queda. Além disso, o dólar já caiu quase 2% ontem, e os investidores aguardam novas declarações do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, em evento virtual do Itaú BBA, nesta manhã de quarta, o que pode ajudar a dar uma direção mais clara à moeda americana.
Além disso, o mercado doméstico ainda opera sob o efeito da sinalização do Banco Central de que pode promover oferta de swap cambial adicional, além da rolagem integral dos contratos vincendos em janeiro. Mais cedo, a Fundação Getulio Vargas (FGV) divulgou o resultado do Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) na segunda prévia de novembro, que subiu 3,05%, após ter aumentado 2,92% na segunda leitura de outubro. Com o resultado, o índice acumulou elevação de 21,70% no ano de 2020 e alta de 24,25% em 12 meses.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO