Porto Alegre, segunda-feira, 09 de novembro de 2020.
Dia do Hoteleiro.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 09 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 15h04min, 09/11/2020.

Bolsas da Europa fecham em forte alta após avanço em vacina da Pfizer

O índice pan-europeu Stoxx 600 teve alta de 3,98%, a 380,99 pontos

O índice pan-europeu Stoxx 600 teve alta de 3,98%, a 380,99 pontos


MIGUEL MEDINA/AFP/JC
As bolsas da Europa fecharam com fortes altas nesta segunda-feira (9), seguindo uma euforia dos mercados com a divulgação de que uma vacina experimental contra Covid-19 desenvolvida pela Pfizer em conjunto com a BioNTech registrou 90% de eficácia. Setores que são mais impactados ao noticiário sobre a doença tiveram altas extremamente expressivas, com destaque para o aéreo. Petroleiras e bancos também tiveram bom desempenho na sessão. O índice pan-europeu Stoxx 600 teve alta de 3,98%, a 380,99 pontos.
As bolsas da Europa fecharam com fortes altas nesta segunda-feira (9), seguindo uma euforia dos mercados com a divulgação de que uma vacina experimental contra Covid-19 desenvolvida pela Pfizer em conjunto com a BioNTech registrou 90% de eficácia. Setores que são mais impactados ao noticiário sobre a doença tiveram altas extremamente expressivas, com destaque para o aéreo. Petroleiras e bancos também tiveram bom desempenho na sessão. O índice pan-europeu Stoxx 600 teve alta de 3,98%, a 380,99 pontos.
No continente, a expectativa pela vacina foi endossada pelo anúncio da Comissão Europeia de que irá comprar 300 milhões de doses do imunizante da Pfizer. O clima de otimismo para as bolsas já vinha se intensificando com a vitória de Joe Biden nas eleições dos Estados Unidos.
"A segunda onda de Covid-19 continua a atrapalhar as economias em todo o mundo, e as últimas notícias sobre vacinas são um incentivo bem-vindo para a esperança de que 2021 possa ser um ano muito melhor do que 2020 para a economia global", avalia o ING.
As ações das companhias aéreas do continente disparam. A expectativa de que a vacina leve a uma retomada nas viagens impulsionou as altas de IAG, que controla a Iberia e a British Airways,(+25,68%), Easyjet (35,96%) Air France-KLM (+27,48%), Lufthansa (19,88%) e Amadeus (+15,68%).
Com ganhos que chegaram aos 10% durante o pregão, o petróleo em Nova York e Londres impulsionou as ações das empresas do ramo em diversas bolsas. As perspectivas positivas para a economia global levaram aos avanços de Total (+15,07%), BP (+15,05%), Royal Dutch Shell (+12,48%), Repsol (18,23%), Eni (12,78%), Galp (17,40%).
O setor bancário foi outro que disparou com as perspectivas positivas para a economia. Barclays (13,66%), Caixabank (14,98%), Santander (19,22%), BNP Paribas (+17,98%) tiveram importantes altas ao redor da região.
A maior alta entre as principais bolsas europeias foi em Madri, com o IBEX 35 chegando a ultrapassar os 7.500 pontos, nível que a imprensa local registra que não havia sido alcançado desde julho do último ano. Ao longo da sessão, a euforia diminuiu um pouco, e o índice terminou com avanço de 8,57%, a 7,459,40 pontos.
Em um dia também positivo para o setor automotivo, a Peugeot teve alta de 7,53%, e ajudou no avanço do CAC 40 em Paris, que subiu 7,57%, a 5.336,32 pontos.
A Volkswagen teve alta de 6,88% em Frankfurt, onde o DAX avançou 4,94%, a 13.095,97 pontos.
A alta da Pirelli de 14,22% ajudou o FTSE MIB a fechar com avanço de 5,43% em Milão, a 20.750,18 pontos.
O BCP Millenium teve avanço de 18,92%, em meio ainda ao intenso noticiário financeiro português, e foi a maior alta no PSI 20, que subiu 4,50%, a 4.222,68 pontos, em Lisboa.
Em Londres, o FTSE teve alta de 4,67%, a 6.186,29 pontos.
 
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO