Porto Alegre, quinta-feira, 05 de novembro de 2020.
Dia Nacional da Cultura, Dia do Cinema Brasileiro e Dia do Designer.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 05 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Combustível

- Publicada em 11h25min, 04/11/2020. Atualizada em 17h20min, 05/11/2020.

Sulgás descarta reajuste dos preços do gás natural em 2020

Estatal de gás natural, que deve ser privatização, diz que aumento não afeta contratos de compra

Estatal de gás natural, que deve ser privatização, diz que aumento não afeta contratos de compra


Janine Pontes / Divulgação Sulgás/JC
O reajuste do gás natural que a Petrobras comunicou, por nota, nesta quarta-feira (4), não vai afetar os consumidores no Rio Grande do Sul. A concessionária Sulgás, que faz a distribuição a mais de 60 mil clientes, informou que a correção não afeta contratos de compra que tem com a estatal. A companhia descartou reajuste este ano. 
O reajuste do gás natural que a Petrobras comunicou, por nota, nesta quarta-feira (4), não vai afetar os consumidores no Rio Grande do Sul. A concessionária Sulgás, que faz a distribuição a mais de 60 mil clientes, informou que a correção não afeta contratos de compra que tem com a estatal. A companhia descartou reajuste este ano. 
"Não há previsão de repasse aos preços em 2020", diz a área de comunicação da Sulgás, estatal que teve autorização da Assembleia Legislativa para ser privatizada.  
A correção não atinge contratos de compra que a empresa gaúcha tem com a Petrobras. Quando há repasse, a autorização tem de ser feita pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Infraestrutura. Durante a pandemia, principalmente nos primeiros meses, houve parcelamentos de contas de clientes
A Sulgás informou que projeta fazer reajuste das tabelas, seguindo os custos do gás, na revisão tarifária de 2021. Este ano não chegou a ser feita nenhuma atualização.   
Pelo comunicado da Petrobras, o reajuste foi aplicado em 1 de novembro e "incide nos contratos iniciados em janeiro de 2020". "Os ajustes ocorreram de acordo com parâmetros negociados em fórmulas contratuais, em função das variações ocorridas nas cotações do petróleo Brent e da taxa de câmbio Real/Dólar no último trimestre", detalha na nota. 
O reajuste foi de 26% em US$/MMBtu em relação ao preço do gás de agosto de 2020. Quando medido em R$/m3, o reajuste é de 33%, completa. A Petrobras observa ainda que os preços têm redução de 38% em US$/MMBtu e de 13% em R$/m3 desde dezembro de 2019, pela taxa de câmbio de 30/10/2020.
Comentários CORRIGIR TEXTO