Porto Alegre, sexta-feira, 30 de outubro de 2020.
Dia do Comerciário. Dia do Balconista.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 30 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 15h32min, 30/10/2020.

Ouro fecha em alta, com recuperação de perdas recentes, mas recua na semana

Ouro com entrega prevista para dezembro subiu 0,64% a US$ 1.879,9 a onça-troy

Ouro com entrega prevista para dezembro subiu 0,64% a US$ 1.879,9 a onça-troy


VISUALHUNT.COM/DIVULGAÇÃO/JC
O ouro fechou o pregão desta sexta-feira (30) em alta, em um movimento de recuperação de perdas recentes, mas registrou queda na semana. A perda de ímpeto na valorização do dólar ajudou a impulsionar o metal precioso hoje, enquanto a incerteza política a quatro dias da eleição presidencial dos EUA mantém os investidores cautelosos e em busca de ativos seguros.
O ouro fechou o pregão desta sexta-feira (30) em alta, em um movimento de recuperação de perdas recentes, mas registrou queda na semana. A perda de ímpeto na valorização do dólar ajudou a impulsionar o metal precioso hoje, enquanto a incerteza política a quatro dias da eleição presidencial dos EUA mantém os investidores cautelosos e em busca de ativos seguros.
Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange, o ouro com entrega prevista para dezembro subiu 0,64% a US$ 1.879,9 a onça-troy, mas recuou 1,22% na semana.
"Outubro foi um mês surpreendentemente sem intercorrências para o ouro, apesar da volatilidade que atingiu os mercados de ações", afirma Ryan Giannotto, diretor de pesquisa da GraniteShares.
A força recente do dólar havia pressionado o metal precioso, já que, assim, os contratos ficam mais caros para detentores de outras divisas. Nesta sexta, no entanto, o índice DXY, que mede a variação da moeda dos EUA na comparação com seis pares, opera com leve alta, mas sem muito impulso.
"Duas forças compensatórias sobre o ouro foram o adiamento indefinido das negociações de estímulo nos EUA, o que é negativo para o ouro, compensado com o enfraquecimento do dólar durante grande parte do mês", diz Giannotto.
Na próxima semana, a disputa entre Joe Biden e Donald Trump pela Casa Branca deve concentrar as atenções do mercado. O maior temor dos investidores é que haja uma indefinição no resultado, o que pode elevar a volatilidade.
*Com informações da Dow Jones Newswires
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO