Porto Alegre, terça-feira, 27 de outubro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 27 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 15h08min, 27/10/2020.

Ouro fecha em alta com busca por segurança, dólar fraco e demanda da China

Ouro com entrega prevista para dezembro subiu 0,33%, a US$ 1.911,9 a onça-troy

Ouro com entrega prevista para dezembro subiu 0,33%, a US$ 1.911,9 a onça-troy


VISUALHUNT.COM/DIVULGAÇÃO/JC
O ouro fechou o pregão desta terça-feira (27) em alta, impulsionado pela busca por segurança no mercado, em meio a uma aceleração global da pandemia de Covid-19 e incertezas políticas, a uma semana das eleições americanas. Além disso, o metal precioso foi apoiado pela fraqueza do dólar e por dados que mostram uma recuperação na demanda da China.
O ouro fechou o pregão desta terça-feira (27) em alta, impulsionado pela busca por segurança no mercado, em meio a uma aceleração global da pandemia de Covid-19 e incertezas políticas, a uma semana das eleições americanas. Além disso, o metal precioso foi apoiado pela fraqueza do dólar e por dados que mostram uma recuperação na demanda da China.
Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange, o ouro com entrega prevista para dezembro subiu 0,33%, a US$ 1.911,9 a onça-troy.
"O ouro está em alta com a incerteza geral antes das eleições nos EUA", dizem analistas do Swissquote Bank.
Para os profissionais, o metal está "alavancando sua capacidade de refúgio" para investidores à medida que o dólar se enfraquece.
A moeda norte-americana opera em baixa em relação a outras divisas principais nesta terça-feira, o que deixa os contratos do ouro mais baratos e atrativos para detentores de outras moedas.
"Mesmo que os fluxos de entrada tenham perdido um pouco de seu ímpeto nas últimas semanas, muitos participantes do mercado ainda parecem ver o preço atual do ouro como uma oportunidade de compra atraente", ressalta o analista Daniel Briesemann, do banco alemão Commerzbank.
Briesemann também destaca um aumento da demanda da China por ouro. "De acordo com a China Gold Association, a demanda por ouro na China se recuperou recentemente: os números mostram que ela aumentou 29% no terceiro trimestre em comparação com o segundo", diz o analista.
Para ele, esse movimento está relacionado com rápida recuperação da economia e dos mercados financeiros do país asiático após os impactos da pandemia de Covid-19.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO