Porto Alegre, sexta-feira, 23 de outubro de 2020.
Dia da Aviação e do Aviador.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 23 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

conjuntura

- Publicada em 08h47min, 23/10/2020.

IPC-S desacelera a 0,79% na terceira semana de outubro, aponta FGV

Gasolina registrou variação de 0,11% para -0,34%

Gasolina registrou variação de 0,11% para -0,34%


Marcelo Camargo/Agência Brasil/JC
O Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) subiu 0,79% na terceira semana de outubro, segundo informou nesta sexta-feira (23) a Fundação Getulio Vargas (FGV). O resultado mostrou alívio em relação à taxa da segunda semana, de 1,01%. Cinco das oito classes de despesa que compõem o IPC-S desaceleraram na apuração. O destaque partiu do grupo Educação, Leitura e Recreação (4,86% para 3,34%), com alívio na taxa do item passagem aérea (45,11% para 30,55%).
O Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) subiu 0,79% na terceira semana de outubro, segundo informou nesta sexta-feira (23) a Fundação Getulio Vargas (FGV). O resultado mostrou alívio em relação à taxa da segunda semana, de 1,01%. Cinco das oito classes de despesa que compõem o IPC-S desaceleraram na apuração. O destaque partiu do grupo Educação, Leitura e Recreação (4,86% para 3,34%), com alívio na taxa do item passagem aérea (45,11% para 30,55%).
Também houve decréscimo nas taxas de Alimentação (2,11% para 1,86%), com desaceleração de laticínios (2,26% para 1,32%); Transportes (0,24% para 0,13%), com alívio na gasolina (0,11% para -0,34%); Habitação (0,36% para 0,32%), devido a equipamentos eletrônicos (0,43% para 0,07%); e Saúde e Cuidados Pessoais (0,03% para 0,02%), com serviços de cuidados pessoais (0,24% para 0,18%).
Outras três classes de despesa tiveram aumento nas taxas de variação. A aceleração aconteceu em Vestuário (0,13% para 0,25%), com pressão de roupas (0,18% para 0,37%); Despesas Diversas (0,13% para 0,14%), devido a conserto de bicicleta (0,05% para 0,91%); e Comunicação (0,07% para 0,08%), com tarifa de telefone residencial (1,20% para 1,40%).
Influências individuais
As maiores pressões para cima sobre o IPC-S partiram dos itens arroz (16,44% para 14,54%), óleo de soja (26,20% para 21,76%), tomate (9,89% para 10,90%) e automóvel novo (0,55% para 0,71%), além da passagem aérea. Na outra ponta, ajudaram na desaceleração do índice a cebola (-4,07% para -5,61%), manga (-7,32% para -9,92%), xampu, condicionador e creme (-0,48% para -1,17%) e mamão papaia (-11,66% para -4,79%), além da gasolina.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO