Porto Alegre, terça-feira, 13 de outubro de 2020.
Dia do fisioterapeuta e do terapeuta ocupacional.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 13 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Varejo

- Publicada em 11h00min, 13/10/2020.

Abertura do comércio aos domingos em Porto Alegre aumenta vendas no RS

Valor de Notas Fiscais Eletrônicas emitidas foi 29,9% maior em todo o Rio Grande do Sul

Valor de Notas Fiscais Eletrônicas emitidas foi 29,9% maior em todo o Rio Grande do Sul


JOYCE ROCHA/JC
A reabertura do comércio aos domingos em Porto Alegre já mostrou reflexos positivos ao varejo do Rio Grande do Sul. Segundo a Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre (CDL-POA), neste último domingo (11) houve uma alta de 29,9% sobre o domingo anterior (04) no valor das Notas Fiscais Eletrônicas (NFEs) emitidas pelo Rio Grande do Sul.
A reabertura do comércio aos domingos em Porto Alegre já mostrou reflexos positivos ao varejo do Rio Grande do Sul. Segundo a Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre (CDL-POA), neste último domingo (11) houve uma alta de 29,9% sobre o domingo anterior (04) no valor das Notas Fiscais Eletrônicas (NFEs) emitidas pelo Rio Grande do Sul.
Para o economista-chefe da CDL-POA, Oscar Frank, o registro revela um ritmo bem superior ao que vinha acontecendo neste tipo de comparação. Trata-se de uma provável evidência do efeito positivo da permissão para abertura do comércio aos domingos em Porto Alegre.
Já sobre as vendas deste Dia das Crianças (12), em relação a 2019, houve uma queda de 4,0% no valor das Notas Fiscais Eletrônicas emitidas no feriado. "A retomada ainda é muito desigual entre os setores da atividade econômica. Entretanto, as recentes flexibilizações são fundamentais para dar continuidade à retomada, visando, principalmente, a melhora da condição financeira das empresas e a recuperação do mercado de trabalho", aponta o economista.
Comentários CORRIGIR TEXTO