Porto Alegre, sexta-feira, 09 de outubro de 2020.
Dia Mundial dos Correios.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 09 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Petróleo

- Publicada em 16h55min, 09/10/2020.

Petróleo fecha em baixa após fim de greve na Noruega, mas sobe 9% na semana

O petróleo WTI para novembro caiu 1,43%, a US$ 40,60 o barril

O petróleo WTI para novembro caiu 1,43%, a US$ 40,60 o barril


ANDRÉ MOTTA DE SOUZA/AGÊNCIA PETROBRAS/DIVULGAÇÃO/JC
O petróleo fechou o pregão desta sexta-feira (9) em baixa, em um movimento de realização de lucros após o rali de ontem e com o fim da greve de trabalhadores em petrolíferas da Noruega. Na semana, porém, a commodity energética acumulou alta, impulsionada pelo avanço do furacão Delta no Golfo do México.
O petróleo fechou o pregão desta sexta-feira (9) em baixa, em um movimento de realização de lucros após o rali de ontem e com o fim da greve de trabalhadores em petrolíferas da Noruega. Na semana, porém, a commodity energética acumulou alta, impulsionada pelo avanço do furacão Delta no Golfo do México.
O petróleo WTI para novembro caiu 1,43%, a US$ 40,60 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), mas avançou 9,58% na semana. Na Intercontinental Exchange (ICE), o Brent para dezembro recuou 1,13%, a US$ 42,85 o barril, mas registrou ganho semanal de 9,12%
"O petróleo teve uma semana de ganhos impressionantes", afirma o analista Bjornar Tonhaugen, da consultoria Rystad Energy. A perspectiva de restrição da oferta impulsionou os preços da commodity energética, com as greves no setor de energia norueguês e o avanço do furacão Delta, que deve chegar nesta sexta-feira à costa da Louisiana, nos EUA. No entanto, Tonhaugen pondera que os ganhos podem ser passageiros. "Os furacões que restringem a produção nos EUA diminuirão e a produção aumentará novamente, e o mesmo se aplica às greves na Noruega", diz o profissional.
De fato, as petrolíferas norueguesas conseguiram fechar um acordo com trabalhadores e sindicatos, de acordo com a Reuters, e encerraram as paralisações, o que pressionou o petróleo, que já operava em queda com uma realização dos lucros após o rali de quinta-feira. Se um acordo não fosse alcançado, destaca o banco alemão Commerzbank, as greves poderiam interromper um quarto da produção de petróleo na Noruega, ou 1 milhão de barris por dia.
Entre outras notícias do setor, a Baker Hughes informou que o número de poços de petróleo em atividade nos Estados Unidos subiu 4 na semana, a 193.
 
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO