Porto Alegre, quarta-feira, 07 de outubro de 2020.
Dia do Compositor.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 07 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Petróleo

- Publicada em 17h37min, 07/10/2020.

Petróleo fecha em baixa por anúncio do fim das negociações por pacote fiscal

O WTI para novembro caiu 1,77%, a US$ 39,95 o barril

O WTI para novembro caiu 1,77%, a US$ 39,95 o barril


ANDRÉ MOTTA DE SOUZA/AGÊNCIA PETROBRAS/DIVULGAÇÃO/JC
Os contratos futuros de petróleo fecharam em baixa nesta quarta (7) com forte reação ao anúncio do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que não haveria um acordo para uma nova rodada de estímulos fiscais no país antes das eleições. A declaração foi feita ontem no Twitter, quando os preços do petróleo já haviam encerrado a sessão e o recuo parcial dele hoje em alguns pontos, como ajuda a companhias aéreas, não foi suficiente para alterar o quadro.
Os contratos futuros de petróleo fecharam em baixa nesta quarta (7) com forte reação ao anúncio do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que não haveria um acordo para uma nova rodada de estímulos fiscais no país antes das eleições. A declaração foi feita ontem no Twitter, quando os preços do petróleo já haviam encerrado a sessão e o recuo parcial dele hoje em alguns pontos, como ajuda a companhias aéreas, não foi suficiente para alterar o quadro.
Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o WTI para novembro caiu 1,77%, a US$ 39,95 o barril. Na Intercontinental Exchange (ICE), o Brent para dezembro recuou 1,55%, a US$ 41,99 o barril.
"O mercado ficou sob pressão desde os negócios da madrugada na Ásia, com as negociações de estímulo dos EUA fracassando, e agora parece improvável que veremos um pacote de estímulo até depois das eleições nos EUA", apontou o ING. A visão é corroborada por relatório enviado a clientes pelo Commerzbank: "A notícia de que o presidente Trump dos EUA pretende adiar as negociações sobre ajuda econômica para depois das eleições está pesando nos preços hoje, com certeza".
Os dois bancos sinalizam que seguem havendo riscos à oferta, o que fez com que no começo da semana os preços disparassem. Na Noruega, a mobilização por greves no setor de hidrocarbonetos ameaça a produção. No entanto, o ING aponta que "por enquanto, embora o campo Johan Sverdrup tenha alguns trabalhadores em greve, a produção não foi afetada", em referência a uma das principais explorações no país.
Nos Estados Unidos, a temporada muito ativa de furacões segue no radar, e ameaça o fornecimento no Golfo do México com a formação do furacão Delta, que deve tocar o chão no dia 10, colocando em risco a capacidade operacional na Louisiana.
Divulgado hoje, o relatório do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) dos EUA sobre os estoques do país na última semana não teve grande impacto nos preços, que seguiram recuando após a informação de que os estoques de petróleo subiram 501 mil barris, enquanto analistas ouvidos pelo Wall Street Journal apontavam queda de 100 mil.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO