Porto Alegre, quarta-feira, 07 de outubro de 2020.
Dia do Compositor.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 07 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Hotelaria

- Publicada em 20h42min, 07/10/2020. Atualizada em 21h02min, 07/10/2020.

Hotel de Porto Alegre passa a receber 'hóspedes permanentes'

São três opções de apartamento, e a pessoa paga pelo que usar de serviços do hotel

São três opções de apartamento, e a pessoa paga pelo que usar de serviços do hotel


JOYCE ROCHA/JC
Osni Machado
Um dos hotéis mais tradicionais em Porto Alegre buscou uma alternativa de receita para enfrentar a queda de hóspedes em meio à pandemia, principalmente pela suspensão de eventos. O Ritter Hotéis, que fica em frente à Rodoviária da Capital, no Centro Histórico, transformou uma das torres do empreendimento em moradia compartilhada.
Um dos hotéis mais tradicionais em Porto Alegre buscou uma alternativa de receita para enfrentar a queda de hóspedes em meio à pandemia, principalmente pela suspensão de eventos. O Ritter Hotéis, que fica em frente à Rodoviária da Capital, no Centro Histórico, transformou uma das torres do empreendimento em moradia compartilhada.
São 130 apartamentos que passam a compor a nova estratégia. O hotel, fundado em 1974, batizou a nova modalidade de Haus von Ritter. Traduzido do alemão para o português, significa Casa do Ritter.
A gerente do Ritter, Fernanda Ritter, com 29 anos e da terceira geração da família proprietária, explica que a implantação do modelo foi muito rápida: "Tive a ideia em agosto e inauguramos em 28 de setembro".
A jovem comenta que o investimento para viabilizar a ideia foi basicamente em comunicação e montagem do site, pois o hotel já contava com uma estrutura preparada.
Fernanda garante que o Ritter larga na frente como o primeiro hotel coliving do Brasil. Neste sistema, o morador conta com serviços de hotelaria em um sistema de pay per use. Ou seja, o hóspede permanente  paga por aquilo que utilizar.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/10/07/206x137/1_jr_071020___fachada_ritter__3_-9159970.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5f7e29fe9dc4a', 'cd_midia':9159970, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/10/07/jr_071020___fachada_ritter__3_-9159970.jpg', 'ds_midia': 'Fotos da fachada do Hotel Ritter.', 'ds_midia_credi': 'JOYCE ROCHA/JC', 'ds_midia_titlo': 'Fotos da fachada do Hotel Ritter.', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '533', 'align': 'Left'}
Modalidade foi batizada de Haus von Ritter, do alemão, Casa do Ritter, em português. Fotos: Joyce Ramos/JC
Entre as vantagens da moradia, está a dispensa fiador. "Não há burocracias. O hóspede pode optar por um contrato de um mês, três ou seis meses", explica a gerente. Outro diferencial é que a conta já inclui aluguel, condomínio, energia, água, internet, TV a cabo, frigobar, limpeza semanal e segurança 24 horas.
O morador do coliving pode escolher entre três modalidades de apartamentos, chamados de Studio, para residir pelo tempo que desejar.
O primeiro tipo tem 22 metros quadrados, cama box ou duas camas de solteiro e um janelão do chão ao teto. Outra opção é o Studio com sacada, com 37 metros quadrados de área, banheiro privativo, sacada, espaço de estar com sofá e cama box de casal ou duas meio casal.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/10/05/206x137/1_jr_051020___ritter__5_-9157650.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5f7b8db0b49ae', 'cd_midia':9157650, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/10/05/jr_051020___ritter__5_-9157650.jpg', 'ds_midia': 'Fernanda Estivallet Ritter, gerente-geral do empreendimento Haus von Ritter, primeiro coliving do Brasil com serviços de hotelaria pay per use.', 'ds_midia_credi': 'JOYCE ROCHA/JC', 'ds_midia_titlo': 'Fernanda Estivallet Ritter, gerente-geral do empreendimento Haus von Ritter, primeiro coliving do Brasil com serviços de hotelaria pay per use.', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '533', 'align': 'Left'}
O Studio 3 tem até uma sala de estar, que deixa o ambiente bem parecido com o de um apartamento normal 
A terceira opção é o Studio com dois quartos, 30 metros quadrados de área, banheiro privativo e cama casal ou com duas camas de solteiro.
A nova modalidade mira hóspedes de 20 a 25 anos, principalmente aqueles que vêm do interior gaúcho ou de outros estados para estudar na Capital. Além deles, o Haus von Ritter também quer alcançar executivos que ficam na cidade por um período de dois a três meses, detalha Fernanda.
A gerente cita também ainda que a pessoa adquire um espaço privado e com valor inferior ao de um aluguel, comparando as qualidades e até localização. "E preserva a sua individualidade e, ao mesmo tempo, soma momentos em espaços compartilhados, como por exemplo, a cozinha, o lounge, a piscina, entre outros", valoriza. 
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/10/05/206x137/1_jr_051020___ritter__3_-9157648.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5f7b8db0b49ae', 'cd_midia':9157648, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/10/05/jr_051020___ritter__3_-9157648.jpg', 'ds_midia': 'Fernanda Estivallet Ritter, gerente-geral do empreendimento Haus von Ritter, primeiro coliving do Brasil com serviços de hotelaria pay per use.', 'ds_midia_credi': 'JOYCE ROCHA/JC', 'ds_midia_titlo': 'Fernanda Estivallet Ritter, gerente-geral do empreendimento Haus von Ritter, primeiro coliving do Brasil com serviços de hotelaria pay per use.', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '533', 'align': 'Left'}
Fernanda, da terceira geração dos proprietários, aposta na atração da modalidade para jovens e executivos  
O morador pode levar os pertences pessoais para o hotel. Fernanda cita que o apartamento já está equipado com cofre digital, secador de cabelo, fechadura eletrônica, frigobar e escrivaninha.
Só o estacionamento, que é operado por uma empresa terceirizada , não está incluído no condomínio. Mas o hotel pode adicionar ao pacote mensal por um valor adicional.
O estabelecimento terá uma promoção especial destinada aos cinco primeiros moradores que optarem pela modalidade Studio. Eles vão pagar mensalidade de R$ 1.500,00 pelo apartamento.
“Representa cerca de 40% de um aluguel de um pequeno apartamento. É um valor bem atrativo. Como o Haus von Ritter está nascendo, entendemos que os primeiros moradores vão apostar junto com a gente”, acredita Fernanda.
Comentários CORRIGIR TEXTO