Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

sistema financeiro

- Publicada em 17h47min, 24/09/2020.

Mercado Pago recebe aporte de R$ 400 mi do Goldman Sachs

O Mercado Pago, fintech de pagamentos do Mercado Livre, anunciou nesta quinta-feira (24), que recebeu aporte de R$ 400 milhões do Goldman Sachs. Os recursos têm como destino a divisão de crédito da instituição, o Mercado Crédito, e servirão para expandir a oferta de crédito para pequenos e médios vendedores que usam o Mercado Pago e o Mercado Livre.
O Mercado Pago, fintech de pagamentos do Mercado Livre, anunciou nesta quinta-feira (24), que recebeu aporte de R$ 400 milhões do Goldman Sachs. Os recursos têm como destino a divisão de crédito da instituição, o Mercado Crédito, e servirão para expandir a oferta de crédito para pequenos e médios vendedores que usam o Mercado Pago e o Mercado Livre.
"O investimento da Goldman Sachs nos ajudará a seguir com o objetivo do Mercado Pago de democratizar o acesso aos serviços financeiros e ao crédito na América Latina. Grande parte dos vendedores que atua no Mercado Livre e no Mercado Pago é formada por micro e pequenas empresas que não possuem acesso ao sistema financeiro tradicional", afirma Martín de los Santos, vice-presidente sênior do Mercado Crédito.
A fintech já havia passado por uma primeira rodada de financiamento no México, realizada em dezembro de 2019, no valor de US$ 125 milhões. O novo investimento será realizado em um FIDC (fundo de investimento em direitos creditórios) e será utilizado pelo Mercado Pago para ampliar a capacidade de concessão de crédito para capital de giro a empreendedores. A fintech concede crédito na Argentina, Brasil e México.
Trata-se de mais um movimento das fintechs para diversificar negócios. O Easynvest, por exemplo, que atua como plataforma digital de investimentos, anunciará amanhã a decisão de entrar também no mercado de crédito, com empréstimos a partir de R$ 1 mil, para clientes da corretora, que poderão usar os investimentos como garantia contra calotes.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO