Porto Alegre, quarta-feira, 23 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 23 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 15h04min, 16/09/2020.

Ouro fecha em alta, com juros dos Treasuries e dólar em baixa antes do Fed

Ouro para dezembro fechou com ganho de 0,22%, a US$ 1970,50 por onça-troy

Ouro para dezembro fechou com ganho de 0,22%, a US$ 1970,50 por onça-troy


VISUALHUNT.COM/DIVULGAÇÃO/JC
O ouro encerrou a sessão desta quarta-feira (16) em alta, amparado pela fraqueza de outros ativos considerados seguros nos mercados internacionais, como os títulos públicos dos Estados Unidos e o dólar, neste dia de decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central americano).
O ouro encerrou a sessão desta quarta-feira (16) em alta, amparado pela fraqueza de outros ativos considerados seguros nos mercados internacionais, como os títulos públicos dos Estados Unidos e o dólar, neste dia de decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central americano).
Na Comex, divisão para metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro para dezembro fechou com ganho de 0,22%, a US$ 1970,50 por onça-troy.
O principal metal precioso conseguiu retomar sua escalada no exterior, com ajuda de uma conjuntura já conhecida para o mercado: juros dos Treasuries e dólar em queda. Com a fraqueza desses ativos, o investidor que busca segurança migra para o ouro, também considerado um ativo de pouco risco, mas com rendimentos melhores.
Na sessão de hoje, os juros dos Treasuries e o dólar foram prejudicados pelo compasso de espera pela decisão do Fed, marcada para as 15 horas de hoje. Se a manutenção da taxa básica de juros pela autoridade americana é amplamente esperada, o foco se volta para as projeções macroeconômicas e para o discurso do presidente Jerome Powell.
De qualquer forma, o horizonte é de juros baixos e amplos estímulos por algum tempo, o que pesa sobre os retornos dos títulos e sobre a divisa local.
O estrategista de mercado da AxiCorp Stephen Innes, contudo, alerta que os ganhos do ouro com base no Fed podem não ser sustentáveis. "Para que o ouro suba significativamente, o Fed deve fazer uma promessa confiável de agir com força total e aumentar agressivamente as expectativas de inflação", diz.
*Com informações da Dow Jones Newswires
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO