Porto Alegre, quarta-feira, 23 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 23 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Crédito

- Publicada em 11h27min, 12/09/2020. Atualizada em 12h17min, 12/09/2020.

Caixa já disponibilizou R$ 15 bilhões para pequenas e microempresas

Caixa seguirá emprestando pelo Pronampe até o limite do Fundo Garantidor de Operações

Caixa seguirá emprestando pelo Pronampe até o limite do Fundo Garantidor de Operações


ALEXANDRO AULER/JC
As principais linhas de crédito da Caixa voltadas para atender as necessidades das pequenas e microempresas já injetaram na economia R$ 15 bilhões desde março. Ao todo, mais de 136 mil empresas fecharam contratos com taxas e condições especiais para enfrentar os efeitos da pandemia de Covid-19 na economia.
As principais linhas de crédito da Caixa voltadas para atender as necessidades das pequenas e microempresas já injetaram na economia R$ 15 bilhões desde março. Ao todo, mais de 136 mil empresas fecharam contratos com taxas e condições especiais para enfrentar os efeitos da pandemia de Covid-19 na economia.
Só no Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), quase 99 mil empresas fecharam contrato, em um total de R$ 9,81 bilhões. Apenas na última semana, foram R$ 2,55 bilhões emprestados.
A Caixa afirma que seguirá emprestando pelo Pronampe até o limite do Fundo Garantidor de Operações (FGO), conforme determinação do gestor do Fundo, o Banco do Brasil. A expectativa é que sejam contratados mais R$ 2 bilhões pela linha.
No Crédito Assistido, que conta com a parceria do Sebrae para antes e após a contratação com a Caixa, foram atendidas mais de 31 mil empresas, num montante de R$ 2,2 bilhões. O Giro CAIXA FGI disponibilizou R$ 2,6 bilhões para 8,3 mil clientes.
“Estivemos ao lado dos empreendedores do País no momento mais difícil da pandemia. Agora, vamos seguir juntos e apoiá-los na retomada da economia”, afirma o presidente da Caixa, Pedro Guimarães.
Comentários CORRIGIR TEXTO