Porto Alegre, quarta-feira, 23 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 23 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Gastronomia

- Publicada em 16h26min, 06/09/2020. Atualizada em 16h33min, 06/09/2020.

Sindha critica excessos na fiscalização de bares e restaurantes em Porto Alegre

Proprietários estão engajados em oferecer locais seguros a clientes e funcionários, diz Chmelnitsky

Proprietários estão engajados em oferecer locais seguros a clientes e funcionários, diz Chmelnitsky


FREDY VIEIRA/JC
O Sindha - Sindicato de Hospedagem e Alimentação de POA e Região considera as recentes fiscalizações em bares e restaurantes realizada por agentes da prefeitura de Porto Alegre desproporcionais. O setor obteve recentemente autorização para reabrir à noite e aos sábadosNa noite de sexta-feira (4), agentes da prefeitura fiscalizaram bares e restaurantes dos bairros Cidade Baixa e Moinhos de Vento. 
O Sindha - Sindicato de Hospedagem e Alimentação de POA e Região considera as recentes fiscalizações em bares e restaurantes realizada por agentes da prefeitura de Porto Alegre desproporcionais. O setor obteve recentemente autorização para reabrir à noite e aos sábadosNa noite de sexta-feira (4), agentes da prefeitura fiscalizaram bares e restaurantes dos bairros Cidade Baixa e Moinhos de Vento. 
“O setor está cumprindo rigorosamente seus protocolos. E isso desde o princípio. Estamos acompanhando proprietários totalmente engajados em proporcionar ambientes seguros para clientes e funcionários, e nos preocupa que a fiscalização da Prefeitura seja totalmente desproporcional. É incoerente notificar restaurantes em cumprimento com as regras e ainda fazer isso com claro abuso de poder”, alerta o presidente do Sindha, Henry Chmelnitsky.
“A fiscalização precisa existir para que tenhamos um cenário seguro no cumprimento dos protocolos e, consequentemente, sem retrocessos na liberação, mas não podemos admitir excessos nesse caminho quando somos os primeiros a seguirmos todos os processos. Não tem como justificar uma ação nessa intensidade”, completa.
Desde a quarta-feira (2), bares e restaurantes podem funcionar até 22h de segunda à sábado. A atividade segue com restrição ao número de clientes atendidos de forma simultânea, e o funcionamento está condicionado a até 50% da capacidade do local e ao cumprimento das regras de higienização e de distanciamento social. 
Comentários CORRIGIR TEXTO