Porto Alegre, quarta-feira, 23 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 23 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Energia

- Publicada em 12h12min, 03/09/2020. Atualizada em 13h00min, 03/09/2020.

Termelétrica AES Uruguaiana é vendida para grupo argentino

AES Uruguaiana foi construída na década de 1990 e inaugurada em 2000

AES Uruguaiana foi construída na década de 1990 e inaugurada em 2000


CRISTIANO GUERRA./DIVULGAÇÃO/JC
A termelétrica AES Uruguaiana foi vendida para o grupo argentino Saesa Solución Energética. O presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Retomada da Produção de Gás pela Termo Uruguaiana, deputado Frederico Antunes (PP) recebeu a confirmação sobre a venda na manhã desta quinta-feira (3) através do CEO do Grupo AES Brasil, engenheiro Ítalo Freitas. Frederico aguardava a resposta para a negociação há 40 dias.
A termelétrica AES Uruguaiana foi vendida para o grupo argentino Saesa Solución Energética. O presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Retomada da Produção de Gás pela Termo Uruguaiana, deputado Frederico Antunes (PP) recebeu a confirmação sobre a venda na manhã desta quinta-feira (3) através do CEO do Grupo AES Brasil, engenheiro Ítalo Freitas. Frederico aguardava a resposta para a negociação há 40 dias.
A AES Uruguaiana foi construída na década de 1990 e inaugurada em 2000. Para funcionar, a norte-americana AES, dona da usina na fronteira gaúcha, enfrentava a dificuldade de fornecimento de gás vindo da Argentina.
A Saesa foi fundada em 2006 é especialista em negócios envolvendo produtores de gás e energia, especialmente energia renovável, e consumidores. "Com a concretização desta negociação, deveremos ter a reativação da usina nos próximos meses com a retomada também da produção de energia. Isso, reforça a percepção de que a Termo Uruguaiana poderá voltar a produzir e até retomar os planos de ter um gasoduto até Porto Alegre", diz Frederico em nota.
Comentários CORRIGIR TEXTO