Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 14h54min, 24/08/2020.

Ouro fecha em queda com apetite por risco após notícias sobre vacina

Ouro para dezembro encerrou em baixa de 0,40%, a US$ 1.939,20 por onça-troy

Ouro para dezembro encerrou em baixa de 0,40%, a US$ 1.939,20 por onça-troy


VISUALHUNT.COM/DIVULGAÇÃO/JC
O contrato futuro de ouro mais líquido fechou em queda nesta segunda-feira (24) em um dia marcado pelo generalizado movimento de apetite por risco, em meio a notícias positivas sobre o desenvolvimento de uma vacina contra o coronavírus.
O contrato futuro de ouro mais líquido fechou em queda nesta segunda-feira (24) em um dia marcado pelo generalizado movimento de apetite por risco, em meio a notícias positivas sobre o desenvolvimento de uma vacina contra o coronavírus.
Na Comex, divisão de metais na New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro para dezembro encerrou em baixa de 0,40%, a US$ 1.939,20 por onça-troy.
O jornal inglês Financial Times noticiou nesta segunda que o governo americano estuda pular etapas regulatórias para liberar a vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pela AstraZeneca antes da eleição presidencial de novembro. A farmacêutica, no entanto, negou tratativas com o governo dos Estados Unidos e vê a especulação como "prematura".
Em outra frente de estudos, a companhia americana Novavax informou em comunicado nesta segunda-feira que iniciou a fase 2 dos testes clínicos de sua candidata a imunizador para covid-19.
O teste será realizado em até 1.500 voluntários nos Estados Unidos e na Austrália. Cerca de 50% deles terão entre 60 e 84 anos, diz a companhia. Dados sobre o teste devem estar disponíveis no quarto trimestre deste ano.
No domingo, durante coletiva de imprensa, o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou a autorização, em caráter emergencial, da utilização do chamado plasma convalescente no tratamento de infectados pela doença - ou seja, a utilização de plasma de pacientes já recuperados de coronavírus que desenvolveram anticorpos no tratamento daqueles que ainda lutam contra a doença.
As notícias injetaram ânimo nos mercados globais e impulsionaram ativos de risco, como commodities e ações. O ouro, que costuma se beneficiar em momentos de cautela, por ser considerado reserva de segurança, aproveitou o cenário para continuar o processo de realização de lucros, conforme destaca o Commerzbank. "O ouro continua a se consolidar após a forte alta do início de agosto", explica.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO