Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Serviços

- Publicada em 21h22min, 10/08/2020. Atualizada em 16h02min, 11/08/2020.

Porto Alegre: lojas, academias, bares e restaurantes vão poder abrir

Comércio vai abrir de quarta a sexta, entre 10h e 17h; menos dias que a regra estadual

Comércio vai abrir de quarta a sexta, entre 10h e 17h; menos dias que a regra estadual


LUIZA PRADO/JC
Patrícia Comunello
A prefeitura de Porto Alegre publicou na noite desta segunda-feira (10) novo decreto liberando a abertura do comércio, academias, bares e restaurantes e retorno de missas e cultos. A construção civil, que já havia começado a trabalhar nesta segunda, teve oficializada a liberação. O decreto 20.683 vigora a partir desta terça-feira (11) até 16 de agosto, atualizando as regras que haviam sido editadas no começo de julho dentro das ações de combate à pandemia do novo coronavírus.
A prefeitura de Porto Alegre publicou na noite desta segunda-feira (10) novo decreto liberando a abertura do comércio, academias, bares e restaurantes e retorno de missas e cultos. A construção civil, que já havia começado a trabalhar nesta segunda, teve oficializada a liberação. O decreto 20.683 vigora a partir desta terça-feira (11) até 16 de agosto, atualizando as regras que haviam sido editadas no começo de julho dentro das ações de combate à pandemia do novo coronavírus.
Lojas de rua, centros comerciais e shopping centers vão poder abrir somente de quarta à sexta-feira, das 10h às 17h. Pela regra do distanciamento controlado estadual para bandeira vermelha, que é a cor de Porto Alegre, o comércio pode abrir também no sábado. O horário vai das 10h às 16h nos dias permitidos. 
O prefeito Nelson Marchezan Júnior não incluiu sábado na nova temporada de liberações e ainda adotou uma hora a mais de abertura nos dias de funcionamento. Setores do varejo não gostaram do que foi definido no decreto, principalmente por não permitir todos os dias de abertura da bandeira vermelha.
Para atualizar as informações sobre as medidas do Estado e em Porto Alegre, confira vídeo do #JCExplica
Restaurantes, bares, padarias, lojas de conveniência e lancherias também poderão ter atendimento presencial e não apenas take-away e delivery. Bufê a quilo com autosserviço (selfservice) continua vetado. O funcionamento deve ser feito de segunda a sexta-feira, das 11h às 17h, segundo o decreto.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/06/25/206x137/1_lp_250620___restaurante_divino_sabor__7_-9083825.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5ef4d01911bfd', 'cd_midia':9083825, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/06/25/lp_250620___restaurante_divino_sabor__7_-9083825.jpg', 'ds_midia': 'Restaurantes de Porto Alegre fecham a partir desta quinta-feira. Devem operar só com entrega ou retirada da comida no local.    Na foto: restaurante Divino Sabor', 'ds_midia_credi': 'LUIZA PRADO/JC', 'ds_midia_titlo': 'Restaurantes de Porto Alegre fecham a partir desta quinta-feira. Devem operar só com entrega ou retirada da comida no local.    Na foto: restaurante Divino Sabor', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '533', 'align': 'Left'}
Restaurantes vão abrir em dias de semana, mas bufê com autosserviço é vetado. Foto: Luiza Prado/JC 
Esta abertura segue a regra estadual mais recente, publicada na sexta-feira (7), que atualizou o que pode e o que não pode abrir nas bandeiras do distanciamento controlado, e que passou a permitir funcionamento presencial de bares e restaurantes nos dias de semana - em vez de apenas de quarta a sexta como era antes, mas somente das 11h às 16h. Porto Alegre liberou uma hora a mais de funcionamento. 
academias vão poder abrir de segunda a sexta-feira, atendendo um aluno a cada 16 metros quadrados. A medida vale para estabelecimentos de rua, em clubes sociais, shopping centers e centros comerciais. O setor volta a operar ao que estava em parte do período que começou a flexibilização. Depois, houve restrição a um aluno por vez, antes de ser definido pelo fechamento no começo de julho.
O novo decreto também liberou missas e cultos com limite de até 30 pessoas concomitantes, que valia antes do último fechamento.
Salões de beleza e barbearias mantiveram a liberação, que ocorreu na semana passada.
Prestação de serviços, inclusive em centros comerciais e shopping centers, pode funcionar somente de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h.
As medidas eram esperadas desde sexta-feira, após diversas rodadas de videoconferências com setores da atividade econômica. A publicação com as novas disposições atrasou porque a Capital enfrentou ação da Justiça estadual por ter adotado abertura do comércio além do que está previsto para bandeira vermelha.
Contrariar a regra estadual provocou a judicialização da abertura recente do comércio na Capital, que havia sido autorizado a funcionar até o Dia dos Pais, nesse domingo, por decreto do prefeito. O governo pediu ação do MP-RS, porque a liberação feria o regulamento da bandeira. A Justiça determinou fechamento ás 16h de sábado, horário limite do decreto estadual, que se mantém.     
O presidente da CDL-POA, Irio Piva, ficou surpreso com a exclusão do sábado da permissão para funcionar, que já é assegurada pelo Estado. "Razoável, longe da promessa inicial e incrivelmente deixou o sábado de fora, que prevê o decreto estadual. É incrível a falta de sintonia entre os poderes, mas é melhor do que estávamos vivendo, com tudo fechado", ponderou Piva.
"Vamos trabalhar assim por uns dias e ver o que acontece. Espero que logo possamos ter mais flexibilizações", projeta o dirigente lojista. 
Nesta segunda, o governo divulgou a nova configuração do mapa das bandeiras, com nove regiões em vermelho. Também Leite baixou decreto com a chamada cogestão do distanciamento controlado com associações de municípios.   
O presidente do Sindicato de Hospedagem e Alimentação de Porto Alegre e Região (Sindha), Henry Chmelnitsky, afirmou quem o decreto é de "suma importância". "Amanhã vamos trabalhar, isso que importa. Tenho certeza que vamos construir uma situação melhor para os próximos dias", acenou o presidente do Sindha, na expectativa de que em breve seja liberada a abertura em sábados e domingos, que são os dias mais reivindicados pelo setor.
"O importante foi que o prefeito liberou. Vamos trabalhar com muito cuidado e segurança", adiantou Chmelnitsky "Nossa próxima luta é abrir de segunda a domingo."    
Comentários CORRIGIR TEXTO