Porto Alegre, quarta-feira, 29 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 29 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

Atualizada em 13h33min, 29/07/2020.

Bolsas da Europa fecham mistas com balanços pressionando bom humor antes do Fed

Índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o dia em queda de 0,21%, aos 367,47 pontos

Índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o dia em queda de 0,21%, aos 367,47 pontos


MIGUEL MEDINA/AFP/JC
As bolsas da Europa encerraram o pregão desta quarta-feira (29) sem direção única, com balanços corporativos de grandes empresas pressionando o bom humor nos mercados internacionais antes da decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), marcada para as 15 horas de Brasília. Analistas esperam que a autoridade dos Estados Unidos reforce nesta tarde seu compromisso com apoio uma política monetária acomodatícia para estimular a economia.
As bolsas da Europa encerraram o pregão desta quarta-feira (29) sem direção única, com balanços corporativos de grandes empresas pressionando o bom humor nos mercados internacionais antes da decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), marcada para as 15 horas de Brasília. Analistas esperam que a autoridade dos Estados Unidos reforce nesta tarde seu compromisso com apoio uma política monetária acomodatícia para estimular a economia.
O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o dia em queda de 0,21%, aos 367,47 pontos.
Influenciados pela volatilidade da temporada de balanços, os mercados acionários europeus acabaram se deslocando do otimismo que prevalece no exterior à espera da decisão do Fed, com posterior discurso do presidente da instituição, Jerome Powell. Isso porque resultados vacilantes no continente, sobretudo de grandes bancos, acabaram gerando oscilações nos negócios entre as praças locais.
O índice FTSE 100, da bolsa de Londres, subiu 0,04%, a 6.131,46 pontos, com ganhos contidos pelos papéis do Barclays, que encerraram a sessão em queda de 5,99%.
Em meio aos efeitos adversos da pandemia de coronavírus, o banco britânico informou lucro antes de impostos de 1,27 bilhão de libras (US$ 1,64 bilhão) no primeiro semestre de 2020, equivalente a menos da metade do ganho de 3,01 bilhões de libras registrado no mesmo intervalo do ano passado.
Apenas o índice CAC 40, de Paris, conseguiu acompanhar Londres e fechou em alta de 0,60%, aos 4.958,74 pontos.
Já o índice Dax, de Frankfurt, encerrou em queda de 0,10%, a 12.822,26 pontos, com os papéis do Deutsche Bank em baixa de 2,50% após um balanço frustrante.
O índice Ibex 35, de Madri, também marcou perdas, de 0,55%, aos 7.206,20, em linha com o Santander, que encerrou o dia baixando 4,71%, reagindo ao balanço que igualmente decepcionou acionistas.
O índice PSI 20, da Bolsa de Lisboa, por sua vez, encerrou o dia em queda de 0,27%, aos 4.395,60 pontos.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO