Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 18h57min, 28/07/2020.

Bolsas de Nova Iorque fecham em baixa, após frustração com balanços e dúvidas sobre pacote

Com isso, o índice acionário Dow Jones recuou 0,77%, a 26.379,28 pontos

Com isso, o índice acionário Dow Jones recuou 0,77%, a 26.379,28 pontos


JEENAH MOON/GETTY IMAGES/AFP/JC
As bolsas de Nova Iorque fecharam o pregão desta terça-feira (28), em baixa, com balanços corporativos piores do que o previsto pelo mercado e dúvidas dos investidores sobre o pacote fiscal de US$ 1 trilhão apresentado ontem pelo Partido Republicano e que enfrenta resistências dos democratas, que defendem um montante maior em benefícios.
As bolsas de Nova Iorque fecharam o pregão desta terça-feira (28), em baixa, com balanços corporativos piores do que o previsto pelo mercado e dúvidas dos investidores sobre o pacote fiscal de US$ 1 trilhão apresentado ontem pelo Partido Republicano e que enfrenta resistências dos democratas, que defendem um montante maior em benefícios.
Com isso, o índice acionário Dow Jones recuou 0,77%, a 26.379,28 pontos, o S&P 500 caiu 0,65%, a 3.218,44 pontos, e o Nasdaq perdeu 1,27%, a 10.402,09 pontos.
Uma aceleração nas perdas nos minutos finais de negociação selou o pregão negativo em Wall Street, mas a tendência de baixa já predominava desde cedo, com certa volatilidade.
"O índice S&P 500 está um pouco mais baixo hoje, à medida que os participantes do mercado continuam avaliando o progresso no pacote de estímulos, o crescimento dos casos de Covid-19 e os balanços", escreveram analistas da corretora americana LPL Financial, em relatório de mercado divulgado no começo da tarde.
 
McDonald's e 3M, duas das empresas que divulgaram balanços hoje, frustraram as expectativas do mercado. Os papéis dessas companhias recuaram 2,49% e 4,75%, respectivamente. Já o resultado corporativo da farmacêutica Pfizer, agradou, e a ação da companhia que desenvolve uma vacina contra a Covid-19 subiu 3,94%.
Ontem, a expectativa pelo pacote fiscal apresentado pelos republicanos chegou a impulsionar o otimismo, mas hoje o foco mudou para as negociações com o Partido Democrata, que havia aprovado um projeto de US$ 3,5 trilhões na Câmara dos Representantes em maio.
Analistas do Danske Bank esperam que as negociações entre os dois partidos se arrastem até meados de agosto. "É improvável que a proposta avance com o Partido Democrata, que exige um pacote muito maior", escreveram em um relatório de mercado.
Enquanto isso, a Covid-19 segue em aceleração no país e gera incertezas sobre a retomada econômica. O índice de confiança do consumidor americano, divulgado hoje pelo Conference Board, caiu de 98,3 em junho para 92,6 em julho. O mercado esperava uma queda menor, a 94,3 pontos.
"Depois de realizar a primeira parte de uma recuperação em 'V', a economia dos EUA se estabilizou um pouco em resposta à mais recente onda da Covid-19", avalia a LPL Financial.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO