Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Trabalho

- Publicada em 11h01min, 28/07/2020. Atualizada em 11h01min, 28/07/2020.

IBGE adia divulgação da taxa de desemprego de junho

Por conta da pandemia de coronavírus, instituto está realizando a pesquisa por telefone

Por conta da pandemia de coronavírus, instituto está realizando a pesquisa por telefone


EVANDRO LEAL/AGÊNCIA FREELANCER/FOLHAPRESS/JC
O IBGE anunciou nesta terça-feira (28) que adiou a divulgação da Pnad Contínua, que calcula a taxa oficial de desemprego no país. A data inicial para publicação dos dados de junho era esta quarta-feira (29), mas foi transferida para a semana que vem, no dia 6 de agosto.
O IBGE anunciou nesta terça-feira (28) que adiou a divulgação da Pnad Contínua, que calcula a taxa oficial de desemprego no país. A data inicial para publicação dos dados de junho era esta quarta-feira (29), mas foi transferida para a semana que vem, no dia 6 de agosto.
A pesquisa vem sendo realizada por telefone desde 17 de março por conta da pandemia da Covid-19, já que os pesquisadores estavam com dificuldade de ir a campo pelo distanciamento social.
Segundo o instituto, o desenho da amostra da pesquisa introduz a cada mês um número de domicílios que nunca foram visitados anteriormente, portanto, os números de telefones destes domicílios não foram levantados pelo IBGE.
"Como as visitas domiciliares foram suspensas desde março, tem sido um desafio realizar a coleta por telefone em todos os domicílios seguindo o cronograma original", disse o IBGE, em nota. O instituto informou que segue estudando alternativas para a manutenção da Pnad Contínua.
"Há uma dificuldade em ter essa coleta. A coordenadora foi orientada a entrar em contato com as unidades estaduais e prorrogando a divulgação até que a coleta esteja razoável", afirmou Cimar Azeredo, coordenador do IBGE.
Comentários CORRIGIR TEXTO