Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mercado financeiro

- Publicada em 13h46min, 27/07/2020.

Bolsas da Europa fecham em baixa, com quadro global pesando e euro forte

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 0,31%, em 366,15 pontos

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 0,31%, em 366,15 pontos


GABRIELA DI BELLA/ARQUIVO/JC
As bolsas europeias fecharam em território negativo nesta segunda-feira (27) com exceção de Frankfurt, que ficou estável. Além de certa cautela com o quadro global, diante de novos surtos da Covid-19 que podem atrapalhar a retomada econômica, influenciou a força do euro, que pressiona ações de exportadoras do continente.
As bolsas europeias fecharam em território negativo nesta segunda-feira (27) com exceção de Frankfurt, que ficou estável. Além de certa cautela com o quadro global, diante de novos surtos da Covid-19 que podem atrapalhar a retomada econômica, influenciou a força do euro, que pressiona ações de exportadoras do continente.
O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 0,31%, em 366,15 pontos.
As praças abriram em baixa, de olho nas tensões recentes entre Estados Unidos e China, por seus possíveis impactos para a economia global. A disseminação da pandemia também continuava no radar. Em relatório, o Commerzbank alertou nesta segunda-feira para "o risco claro de uma segunda onda" de casos da doença na Alemanha.
Ainda assim, o quadro nas bolsas europeias melhorou após um dado do país. O índice Ifo de sentimento das empresas da Alemanha subiu a 90,5 em julho, acima da previsão de 89,0 dos analistas ouvidos pelo Wall Street Journal. O impulso nas ações, porém, não teve fôlego.
No câmbio, o euro continuou a mostrar força, enquanto a libra também avançou ante o dólar - isso pressiona papéis de exportadoras da região. A Western Union afirma em relatório que a divisa americana atingiu mínima em quase dois anos frente ao euro, destacando a continuidade da onda de novo coronavírus nos EUA, em um quadro de mais otimismo na Europa, ajudado pelo dado alemão desta segunda.
Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 fechou em baixa de 0,31%, em 6.104,88 pontos. A ação da BP perdeu 1,24%, com o petróleo pressionado, e entre os bancos Lloyds caiu 2,68%.
Em Frankfurt, o índice DAX fechou estável, em 12.838,66 pontos. Deutsche Lufthansa teve queda de 5,06%, com dúvidas sobre a perspectiva para o setor de viagens. Entre os bancos alemães, Deutsche Bank caiu 2,26% e Commerzbank, 0,72%.
Na Bolsa de Paris, o índice CAC 40 registrou baixa de 0,34%, a 4.939,62 pontos.
Em Milão, o índice FTSE MIB fechou em queda de 0,28%, em 20.019,96 pontos, com Telecom Italia em baixa de 5,00%.
O índice IBEX 35, da Bolsa de Madri, caiu 1,70%, a 7.170,60 pontos. Em Lisboa, o índice PSI 20 cedeu 0,89%, a 4.452,41 pontos.
 
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO