Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 08h09min, 24/07/2020. Atualizada em 08h09min, 24/07/2020.

Bolsas asiáticas fecham em baixa com escalada de tensões entre EUA e China

Mau humor se instalou após o governo chinês ordenar o fechamento do consulado dos EUA

Mau humor se instalou após o governo chinês ordenar o fechamento do consulado dos EUA


CHARLY TRIBALLEAU / AFP/ JC
As bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam em baixa generalizada nesta sexta-feira (24), reagindo a uma nova escalada nas tensões entre EUA e China. Os mercados chineses lideraram as perdas: o índice acionário Xangai Composto encerrou os negócios com queda de 3,86%, a 3.196,77 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto sofreu tombo de 5%, a 2.138,36 pontos.
As bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam em baixa generalizada nesta sexta-feira (24), reagindo a uma nova escalada nas tensões entre EUA e China. Os mercados chineses lideraram as perdas: o índice acionário Xangai Composto encerrou os negócios com queda de 3,86%, a 3.196,77 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto sofreu tombo de 5%, a 2.138,36 pontos.
O mau humor se instalou após o governo chinês ordenar hoje o fechamento do consulado dos EUA em Chengdu, no sudoeste do país asiático, em até 72 horas, num gesto de retaliação à decisão de Washington, na última quarta-feira (22), de determinar que o consulado chinês em Houston (Texas) encerre suas operações, também num prazo de 72 horas. Os EUA alegam que o consulado em Houston era utilizado para espionar cidadãos americanos. Já Pequim acusa o corpo diplomático americano em Chengdu de interferir em questões internas da China. No fim da tarde de ontem, o governo dos EUA já havia elevado o tom em relação à China.
O presidente americano, Donald Trump, minimizou a importância do pacto comercial selado entre os dois países no dia 15 de janeiro deste ano. "O acordo comercial com a China significa muito menos para mim hoje do que quando o assinei", disse Trump, em coletiva. Trump também voltou a responsabilizar a China pela pandemia de coronavírus. "O mundo inteiro foi infectado porque a China não parou o coronavírus", afirmou.
Já o Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse que a China está cada vez mais autoritária e agressiva e que Trump havia decidido dar "um basta". Pompeo também pediu mudanças nas práticas do Partido Comunista da China e acusou o presidente do país, Xi Jinping, de acreditar em uma "ideologia totalitária falida".
Em outras partes da Ásia, o índice Hang Seng caiu 2,21% em Hong Kong hoje, a 24.705,33 pontos, enquanto o sul-coreano Kospi recuou 0,71% em Seul, a 2.200,44 pontos, e o Taiex registrou baixa de 0,88% em Taiwan, a 12.304,04 pontos. No Japão, a Bolsa de Tóquio não operou pelo segundo dia seguido devido a feriados.
Na Oceania, a bolsa australiana ficou igualmente no vermelho, influenciada também pela disseminação da Covid-19 no Estado de Victoria. O S&P/ASX 200 caiu 1,16% em Sydney, a 6.024,00 pontos.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO