Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 11h56min, 21/07/2020. Atualizada em 11h56min, 21/07/2020.

Exterior e expectativa com reforma tributária animam, mas Vale limita B3

Pontuação da B3 segue acima dos 100 mil pontos

Pontuação da B3 segue acima dos 100 mil pontos


ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/FOLHAPRESS/JC
O continuado apetite ao risco no exterior misturado a algumas notícias corporativas domésticas e a expectativa de avanço na reforma tributária, cuja proposta deve ser apresentada nesta terça-feira (21) ao Senado, impulsionam o Ibovespa, que ontem já havia retomado o nível dos 104 mil pontos (104.426,37 pontos). Contudo, a queda das ações da Vale, que informou ontem seus dados de produção do segundo trimestre, é um dos fatores a limitar os ganhos na B3. Os papéis caíam 1,88%, às 11h16min, enquanto o Ibovespa subia 0,35%, aos 104.797,12 pontos.
O continuado apetite ao risco no exterior misturado a algumas notícias corporativas domésticas e a expectativa de avanço na reforma tributária, cuja proposta deve ser apresentada nesta terça-feira (21) ao Senado, impulsionam o Ibovespa, que ontem já havia retomado o nível dos 104 mil pontos (104.426,37 pontos). Contudo, a queda das ações da Vale, que informou ontem seus dados de produção do segundo trimestre, é um dos fatores a limitar os ganhos na B3. Os papéis caíam 1,88%, às 11h16min, enquanto o Ibovespa subia 0,35%, aos 104.797,12 pontos.
Mais cedo, o principal índice à vista atingiu a máxima aos 105.449,23 pontos, depois da mínima aos 104.426,49 pontos. Apesar da perda de ímpeto, analistas continuam otimistas com a Bolsa brasileira. A próxima resistência estimada por analistas gráficos é buscar os 108.800 pontos. Essa marca fora vista pela última vez no dia 3 de março, quando a máxima alcançou 108.803,58 pontos.
Um dos condicionantes desse bom humor que já influenciara os negócios na véspera foi reforçado na madrugada de hoje. Lideranças da União Europeia (UE) fecharam um plano de recuperação de 1,8 trilhão de euros (US$ 2,06 trilhões) para ajudar a região a se recuperar da crise de Covid-19.
As bolsas europeias e as americanas sobem esta manhã, bem como o petróleo, que avança na faixa de 3,00% no mercado internacional, dando força às ações da Petrobras na B3 (alta em torno de 3%). "Temos mais notícias positivas do exterior e o investidor continuará olhando isso", observa Luiz Roberto Monteiro, operador de mesa institucional da Renascença.
Com o mundo extremamente líquido e a percepção de avanços para a obtenção de uma vacina à covid-19, está difícil conter o otimismo dos agentes, o que se traduz em ganhos importantes nas bolsas, observa o economista Silvio Campos Neto, sócio da Tendências Consultoria Integrada, em análise a clientes e à imprensa. Segundo ele, balanços corporativos informados hoje também contribuem com os movimentos, com repercussões positivas nesta abertura dos resultados da IBM e do banco UBS.
Diante dos recentes avanço, o Safra elevou sua projeção para o Ibovespa no fim de 2020 para 112 mil pontos. A expectativa anterior estava em 97 mil pontos. Conforme a instituição, a estimativa se baseia na perspectiva de que o pior da crise tenha ficado para trás após o choque provocado pela pandemia de coronavírus. Os analistas veem manutenção de uma recuperação gradual da economia, continuidade das reformas estruturais e juros em níveis que estimulem a atividade e que está motivando a realocação de parte dos recursos para renda variável.
A despeito da valorização do minério de ferro negociado no porto chinês de Qingdao, de 1,73%, a US$ 111,43 a tonelada, os papéis da Vale caem. Está no radar do investidor os números informados ontem pela companhia.
A Vale informou que a pandemia da Covid-19 afetou sua operação e os efeitos ainda serão sentidos no segundo semestre do ano. No entanto, o impacto não foi suficiente para a companhia alterar sua meta de produção para o minério de ferro este ano, que deve ficar perto de 310 milhões de toneladas. No primeiro semestre do ano a produção de minério chegou em 127,2 milhões de toneladas, recuo de 7,1% ante o observado no ano anterior. Já a venda da commodity teve queda de 11,8% ante o segundo trimestre de 2019.
Ainda em relação à Petrobras, a Engie Brasil anunciou na noite de ontem a compra dos 10% da Transportadora Associada de Gás (TAG) que estavam em poder da estatal. Na política, a expectativa é a entrega da primeira proposta de reforma tributária pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, para o presidente do Congresso, Davi Alcolumbre (DEM-AP). Apesar do otimismo que se criou com essa expectativa, o economista da Tendências lembra que o tema é árido e requer cautela.
Em tempo: fica no radar a notícia de que José Serapieri Júnior, fundador e ex-presidente da Qualicorp, foi preso temporariamente em operação que investiga campanha de José Serra ao Senado, em 2014. As ações caíam 5,56%, às 11h26min.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO