Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Contas Públicas

- Publicada em 03h00min, 21/07/2020.

Deputados e senadores discutem reforma tributária nesta terça-feira

Segundo Maia, se apenas a proposta do governo tiver condições de ser votada já será um progresso

Segundo Maia, se apenas a proposta do governo tiver condições de ser votada já será um progresso


MARYANNA OLIVEIRA/CÂMARA DOS DEPUTADOS/JC
Depois de desencontros sobre a retomada do debate da reforma tributária, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta segunda-feira (20), que a discussão do tema será feita em conjunto com os senadores. Maia informou que se reuniu com Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente do Senado, e que nesta terça-feira (21) está prevista reunião para analisar a proposta do governo sobre as mudanças no sistema tributário.
Depois de desencontros sobre a retomada do debate da reforma tributária, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta segunda-feira (20), que a discussão do tema será feita em conjunto com os senadores. Maia informou que se reuniu com Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente do Senado, e que nesta terça-feira (21) está prevista reunião para analisar a proposta do governo sobre as mudanças no sistema tributário.
Sem entrar em detalhes, Maia disse que o encontro para falar das sugestões do governo deve ocorrer a partir das 14h30 nesta terça-feira (21). "O governo trata de dois impostos, nós tratamos dos cinco. Ele trata de PIS e Cofins. Nós incluímos IPI, ICMS e ISS porque achamos que o impacto para a melhoria do ambiente de crescimento é muito grande", disse.
Segundo Maia, se apenas a proposta do governo tiver condições de avançar para ser votada já será um progresso. "O importante é que a gente avance e dê melhores condições tributárias para aqueles que querem investir no País."
O deputado também opinou que existem muitas distorções no sistema tributário brasileiro. Ele é a favor de discutir, por exemplo, o melhor formato de desoneração e a melhor fonte de financiamento para isso. "Eu acho que a melhor fonte para financiar a desoneração é a redução de despesa pública. Não devemos transferir para a sociedade essa responsabilidade", afirmou.
Comentários CORRIGIR TEXTO