Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

E-commerce

- Publicada em 18h20min, 24/06/2020. Atualizada em 01h15min, 25/06/2020.

Mercado Livre oficializa desistência de se instalar no Rio Grande do Sul

Marketplace negociou até essa terça-feira com o Estado, que diz que atender à demanda

Marketplace negociou até essa terça-feira com o Estado, que diz que atender à demanda


RP1/DIVULGAÇÃO/JC
Patrícia Comunello
A notícia já havia sido dada na semana passada, mas agora é oficial. O Mercado Livre informou nesta quarta-feira (24) que não vai mais instalar um Centro de Distribuição (CD) em Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA), onde fica a fábrica da General Motors. Em nota, a Fazenda gaúcha diz que atendeu ao que a empresa, gigante de e-commerce queria para a operação. No começo da noite, em vídeo, o governador Eduardo Leite diz que vai tentar convencer a companhia a ficar.    
A notícia já havia sido dada na semana passada, mas agora é oficial. O Mercado Livre informou nesta quarta-feira (24) que não vai mais instalar um Centro de Distribuição (CD) em Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA), onde fica a fábrica da General Motors. Em nota, a Fazenda gaúcha diz que atendeu ao que a empresa, gigante de e-commerce queria para a operação. No começo da noite, em vídeo, o governador Eduardo Leite diz que vai tentar convencer a companhia a ficar.    
A nota da empresa se limita a dizer que informou ao governo gaúcho e à prefeitura de Gravataí que "não seguirá com a abertura de um Centro de Distribuição (CD) local". Em fim de fevereiro, a companhia adiou a instalação, que já tinha até alvará.  
Questionada sobre as razões, a Mercado Livre não comentou e nem disse onde poderá instalar a unidade, mas diz que "mantemos nosso propósito de instalar um CD no Sul do Brasil". O destino ainda não estaria confirmado. Notícias na imprensa de Santa Catarina indicam que o estado vizinho teria sido o escolhido. 
Não vai ter o centro de distribuição que criaria 500 empregos na RMPA, mas a companhia diz que seguirá com seu polo de entregas em Porto Alegre. Em um "futuro próximo", diz a nota, poderão ser abertos "novos service centers no Estado, gerando mais de 100 novos postos de trabalho diretos, além dos postos indiretos".
No começo da tarde, a Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz) se manifestou, confirmando ter sido comunicada da decisão nesta quarta e informou que as negociações para a instalação ocorreram até essa terça-feira (23).  
"A Receita Estadual elaborou um Regime Especial para a empresa, superando, a nosso juízo, todas as dificuldades iniciais e que viabilizariam este novo modelo de negócio em franca expansão", explicou o governo, indicando que a solução achada contemplaria a demanda.
A Mercado Livre queria que as empresas que vendem usando a plataforma de marketplace não necessitassem ter registro no Estado e nem emitir nota da comercialização. A legislação padrão do ICMS prevê o cadastro e nota fiscal pela passagem do produto em uma sede local. Em São Paulo, o governo criou um regime especial para estas operações. O Rio Grande do Sul se baseou no exemplo paulista para criar a condição que atendesse ao marketplace, segundo a Fazenda.    
A operação logística no CD segue o fulfillment, pelo qual a mercadoria é enviada a um entreposto, que seria o local em Gravataí, para depois ser despachada ao comprador. Normalmente, as empresas que usam o e-commerce têm sede em outras unidades da federação.    
A Fazenda, porém, não detalhou as condições da negociação alegando sigilo comercial.  
Comentários CORRIGIR TEXTO