Porto Alegre, sexta-feira, 25 de setembro de 2020.
Dia do Trânsito.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 25 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Pandemia

- Publicada em 15h06min, 29/04/2020. Atualizada em 15h11min, 29/04/2020.

Rodrigo Constantino é o primeiro palestrante virtual do Tá na Mesa

Palestra virtual substituiu tradicionais reuniões-almoço

Palestra virtual substituiu tradicionais reuniões-almoço


federasul/divulgação/JC
A primeira edição de 2020 da reunião-almoço Tá na Mesa, da Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul (Federasul) foi realizada virtualmente nesta quarta-feira (29). O palestrante virtual convidado foi o economista Rodrigo Constantino, presidente do Conselho do Instituto Liberal. Em mais de 1 hora de fala, Constantino defendeu a flexibilização de normas de distanciamento social argumentando que os danos à vida causados pelo desemprego, por exemplo, seriam ainda maiores do que os da pandemia sanitária em si.
A primeira edição de 2020 da reunião-almoço Tá na Mesa, da Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul (Federasul) foi realizada virtualmente nesta quarta-feira (29). O palestrante virtual convidado foi o economista Rodrigo Constantino, presidente do Conselho do Instituto Liberal. Em mais de 1 hora de fala, Constantino defendeu a flexibilização de normas de distanciamento social argumentando que os danos à vida causados pelo desemprego, por exemplo, seriam ainda maiores do que os da pandemia sanitária em si.
{'nm_midia_inter_thumb1':'', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5c6f03d777ac4', 'cd_midia':8634598, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/gif/2019/02/21/banner_whatsapp_280x50px_branco-8634598.gif', 'ds_midia': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'ds_midia_credi': 'Thiago Machado / Arte JC', 'ds_midia_titlo': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '280', 'cd_midia_h': '50', 'align': 'Center'}
Tradicionalmente polêmico, Constantino atacou com diferentes críticas o comando da Organização Mundial da Saúde (OMS), a China, o Supremo Tribunal Federal, a imprensa e políticos alinhados à esquerda. Ainda que classifique o atual cenário de pandemia como uma “histeria” e elogie o foco econômico que o presidente Jair Bolsonaro tenta dar ao caso, classificou como “atabalhoadas” muitas decisões e declarações do governante, assim com a decisão recente que de troca no comando da Polícia Federal que levou a saída do ministro da Justiça, Sérgio Moro.
“Ele não deveria, de forma atabalhoada para, para dizer o mínimo, dizer que é uma gripezinha e sair para as ruas, contrariando recomendações. Mas existe uma falsa dicotomia entre a saúde e economia”, analisou Constantino.
Questionado pela presidente a presidente da Federasul, Simone Leite, sobre o que esperar para o pós-pandemia no mundo dos negócios, Constantino avalia que, apesar dos muitos dando econômicos _ privados e públicos_ ainda se pode pensar em alguns ganhos futuros.
“É como se fosse um guerra, de onde sempre surgem inovações. A Internet, por exemplo, se desenvolveu em períodos de guerra, aperfeiçoada pelo exército norte-americano, e da qual depois o setor privado de apropriou para criar novas coisas”, exemplificou o palestrante.
Para Simone, a grande dúvida é como será a recuperação das finanças publicas, além dos danos irreversíveis para muitos negócios, trabalhadores e famílias. Simone ressaltou que o Rio Grande do Sul, que já vinha em crise, agora já projeta perdas de 30% na arrecadação e poderá chegar a uma queda de 50% até o final do ano, segundo Simone.
“E o que dizer a União? Como vai socorrer Estados municípios, se já estava buscando fazer ajustes fiscais e perderá os ganhos que teria com a reforma da Previdência. Como se dará essa dinâmica, se o dinheiro é o mesmo?”, questiona a presidente da Federasul.
Comentários CORRIGIR TEXTO