Porto Alegre, sexta-feira, 25 de setembro de 2020.
Dia do Trânsito.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 25 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Indústria

- Publicada em 10h53min, 13/04/2020. Atualizada em 08h13min, 14/04/2020.

Grandes grupos industriais retomam atividades na Serra gaúcha

Marcopolo está retomando a produção com quadro de pessoal limitado a 25%

Marcopolo está retomando a produção com quadro de pessoal limitado a 25%


MARCOPOLO/DIVULGAÇAO/JC
Roberto Hunoff, de Caxias do Sul
Com atividades interrompidas desde 23 de março, quando a Prefeitura de Caxias do Sul baixou decreto determinando a suspensão de atividades econômicas em razão da Covid-19, as duas maiores empresas da cidade, Marcopolo e Randon, retomaram parcialmente a produção nesta segunda-feira (13). Ambas com quadro de pessoal limitado a 25% em respeito ao decreto municipal que permitiu o retorno da indústria e da construção civil ainda na segunda passada (6).
Com atividades interrompidas desde 23 de março, quando a Prefeitura de Caxias do Sul baixou decreto determinando a suspensão de atividades econômicas em razão da Covid-19, as duas maiores empresas da cidade, Marcopolo e Randon, retomaram parcialmente a produção nesta segunda-feira (13). Ambas com quadro de pessoal limitado a 25% em respeito ao decreto municipal que permitiu o retorno da indústria e da construção civil ainda na segunda passada (6).
A Randon retomou as atividades com 2,3 mil dos seus mais de 8 mil trabalhadores nas unidades de Caxias do Sul. A maioria faz parte das linhas de produção das unidades. Em relação aos demais serão usados outros mecanismos de flexibilização.
Na Marcopolo voltaram às atividades 25% dos colaboradores dos turnos do dia e da noite, algo como 2 mil pessoas, sendo a maior parte de áreas de produção na unidade de Caxias do Sul. Para os demais a empresa deve adotar diferentes mecanismos de flexibilização. Em Xerém, no Rio de Janeiro, o retorno foi em torno de 50%. A data de retomada das atividades da unidade São Mateus, no Espírito Santo, ainda está em avaliação. A maioria dos colaboradores das áreas administrativa segue trabalhando em home office.
O Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico (Simecs) de Caxias do Sul tenta, junto à Prefeitura, elevar o percentual liberado para retorno. A intenção é garantir a liberação de 50%.
Outras grandes indústrias nos demais municípios de abrangência do Simecs também retornaram nesta segunda. Caso da Tramontina, que tem unidades em Carlos Barbosa, Garibaldi e Farroupilha, que retomou com 80% do quadro. As lojas de fábrica permanecem fechadas, sem previsão de reabertura. As unidades oficiais da marca seguem as orientações dos municípios e shoppings onde estão localizadas. A Soprano, com sede em Farroupilha, retomou as atividades de forma gradual. A empresa tem em torno de 1 mil empregados.
Empresas de grande porte de outros setores também voltaram a operar. A Grendene informou que a unidade de Farroupilha retornou com redução de jornada e salários em 50%. As operações no Ceará permanecerão em férias coletivas: em Sobral e Crato até 26 de abril e, em Fortaleza, até 12 de maio.
A Florense, de Flores da Cunha, que emprega 600 pessoas, também voltou às atividades nesta segunda-feira, seguindo as orientações estabelecidas nos decretos municipal e estadual. A Florense ficou 20 dias com a produção parada e parte da equipe administrativa em home office. As pessoas do grupo de risco terão mais 10 dias de férias.
Em todos os casos, as empresas informam que estão seguindo as orientações de prevenção e seguranças determinados pelas autoridades de saúde. Principalmente, de higienização dos locais de uso comum, como vestiários, restaurantes, banheiros, acesso a elevadores, corrimãos e catracas. Também é adotada a verificação da temperatura dos colaboradores e, se necessário, são encaminhados aos ambulatórios para orientação. Também há medidas de segurança e prevenção nos ônibus de deslocamento dos trabalhadores.
Comentários CORRIGIR TEXTO