Porto Alegre, sábado, 17 de outubro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 17 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Urbanismo

- Publicada em 18h21min, 28/03/2020. Atualizada em 15h49min, 29/03/2020.

Prefeitura de Porto Alegre avalia operações virtuais para concessões devido ao coronavírus

Trecho 2 da orla do Guaíba, que terá roda gigante, sofreu atraso

Trecho 2 da orla do Guaíba, que terá roda gigante, sofreu atraso


REPRODUÇÃO PROJETO/PMPA/JC
Jefferson Klein
Vários empreendimentos que a prefeitura da Capital gaúcha contava com a parceria da iniciativa privada para tirar do papel terão seus processos reprogramados quanto a prazos devido à pandemia do coronavírus. Entre esses projetos é possível citar as concessões do mercado público, do parque Harmonia, do trecho 2 da orla do Guaíba e para a implantação de novos abrigos de ônibus que deveriam ser encaminhadas por agora. Uma alternativa estudada para diminuir os impactos é a realização de operações remotas, como a abertura de envelopes de concorrências feita de maneira virtual e acompanhada pelos participantes das disputas.
Vários empreendimentos que a prefeitura da Capital gaúcha contava com a parceria da iniciativa privada para tirar do papel terão seus processos reprogramados quanto a prazos devido à pandemia do coronavírus. Entre esses projetos é possível citar as concessões do mercado público, do parque Harmonia, do trecho 2 da orla do Guaíba e para a implantação de novos abrigos de ônibus que deveriam ser encaminhadas por agora. Uma alternativa estudada para diminuir os impactos é a realização de operações remotas, como a abertura de envelopes de concorrências feita de maneira virtual e acompanhada pelos participantes das disputas.
{'nm_midia_inter_thumb1':'', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5c6f03d777ac4', 'cd_midia':8634598, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/gif/2019/02/21/banner_whatsapp_280x50px_branco-8634598.gif', 'ds_midia': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'ds_midia_credi': 'Thiago Machado / Arte JC', 'ds_midia_titlo': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '280', 'cd_midia_h': '50', 'align': 'Center'}
O secretário de Parcerias Estratégicas, Thiago Ribeiro, revela que a procuradoria geral do município está analisando essa possiblidade, que seria algo inovador. O dirigente destaca que uma crise como a vivida atualmente, que afeta em maior ou menor medida todos os setores da economia, diminui o potencial de investimentos privados, pois os agentes econômicos começam a rever suas expectativas. Ele prefere não arriscar ainda uma estimativa da magnitude dos efeitos, mas um exemplo citado pelo secretário é a abertura dos envelopes da licitação do trecho 2 da orla do Guaíba, que estava marcada para o dia 20 de março e foi suspensa.
Ribeiro diz que todos os grupos que tinham se mostrado interessados e que haviam comunicado que apresentariam uma proposta se retraíram devido às mudanças do cenário. O segmento 2 está compreendido entre a rótula das Cuias e a foz do arroio Dilúvio e o custo das intervenções previstas chega a cerca de R$ 70 milhões, sendo que o destaque são os R$ 45 milhões destinados para a implantação de uma roda gigante.
“Certamente os projetos sofrerão algum tipo de revisão, sobretudo em relação a prazos”, reforça o secretário. Porém, Ribeiro frisa que não acredita que algum empreendimento ficará inviabilizado. O dirigente calcula que, se não houver uma reversão quanto à expectativa do desdobramento da questão do coronavírus, será possível fazer os lançamentos dos editais a respeito das concessões do mercado público, parque Harmonia (que envolve ainda a gestão do trecho 1 da orla do Guaíba), trecho 2 da orla e abrigos de ônibus ainda neste ano, assim como assinar os respectivos contratos.

Ações em andamento serão discutidas caso a caso

Quanto a acordos que já estão em vigor, como a questão da gestão do auditório Araújo Vianna e instalações de novas placas de rua e de relógios digitais pela cidade, o secretário de Parcerias Estratégicas, Thiago Ribeiro, revela que a prefeitura está conversando com os contratados sobre cada um desses projetos e buscando minimizar os efeitos da crise. Ele lembra que em qualquer contrato desse tipo existem cláusulas de reequilíbrio econômico-financeiro do acerto quando ocorre um fato de força maior.
Ele enfatiza que o município entende que o momento é excepcional, que é possível rediscutir tópicos contratuais, mas espera que as empresas consigam reunir esforços para entregar parcela das obras e melhorias previstas. Ribeiro considera que, no caso das placas de ruas, por ser um trabalho ao ar livre, é possível que a companhia consiga manter um cronograma de instalação desses itens, mesmo que não seja na velocidade prevista inicialmente. O mesmo poderia ser aplicado à situação dos relógios, entretanto nesse tema há um problema adicional, porque a maior parte das peças para a montagem dos equipamentos é importada da China que teve sua capacidade produtiva impactada pelo coronavírus.
Já sobre o Araújo Vianna, o secretário recorda que a única receita da concessionária (Opinião Produtora) é o que a empresa arrecadaria com os shows feitos no espaço, que atualmente se encontra fechado. Nessa condição, a prefeitura deverá suspender temporariamente o pagamento da outorga devido à impossibilidade da companhia obter recursos com suas atividades.
Sobre as perspectivas econômicas e de atração de investidores após a superação desse período de dificuldades com a pandemia, o dirigente vê a possibilidade de dois movimentos, cada qual para um sentido. O primeiro, seriam empresas que possuem capital aberto, com ações na bolsa, sofrendo diretamente os reflexos da atual conjuntura, perdendo valor e potencial de investimento, vendo menos atratividade para entrar em um processo licitatório. Por outro lado, a expectativa é de que todos os países façam movimentos públicos de salvamento de companhias e trabalhadores, então ao sair da crise o momento deverá ser de grande liquidez no mercado, com muitos recursos disponíveis para investimentos.
Comentários CORRIGIR TEXTO