Porto Alegre, quarta-feira, 18 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

mercado financeiro

18/03/2020 - 10h08min. Alterada em 18/03 às 10h11min

Dólar dispara e Banco Central faz outro leilão à vista de US$ 1 bilhão

Por volta das 10h, moeda à vista estava a 5,1867, alta de 3,63%

Por volta das 10h, moeda à vista estava a 5,1867, alta de 3,63%


FREEPIK.COM/DIVULGAÇÃO/JC
O dólar abriu em forte alta, de mais de 2%, em meio à retomada do pânico global com a pandemia de coronavírus. O BC fez leilão de linha de até US$ 2 bilhões, e oferta mais US$ 1 bilhão novo no mercado á vista.
O dólar abriu em forte alta, de mais de 2%, em meio à retomada do pânico global com a pandemia de coronavírus. O BC fez leilão de linha de até US$ 2 bilhões, e oferta mais US$ 1 bilhão novo no mercado á vista.
Às 10h10min, o dólar à vista estava a 5,1867, alta de 3,63%. O dólar abril subia a R$ 5,1615 (+2,99%).
A forte aversão a risco se sobrepõe ainda à perspectiva de mais medidas fiscais e previsões piores para a economia brasileira.
No exterior, o índice DXY, que mede a variação do dólar ante uma cesta de seis rivais fortes, opera em alta ante euro e da libra esterlina, em meio à injeção de liquidez em diferentes países do Velho Continente para conter o surto de coronavírus.