Porto Alegre, sábado, 26 de setembro de 2020.
Dia Nacional dos Surdos.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 26 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Agronegócios

- Publicada em 03h00min, 16/03/2020.

Vacinação contra febre aftosa começa nesta segunda-feira

A primeira etapa da campanha de vacinação da febre aftosa, prevista para maio, começa nesta segunda-feira e prosseguirá até 14 de abril. A antecipação foi solicitada pelo secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Covatti Filho, e autorizada em parecer do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A dose da vacina segue a mesma das etapas anteriores, de 2 ml - a vacina passou a ser bivalente, permanecendo a proteção contra os vírus tipo A e O (removido tipo C).
A primeira etapa da campanha de vacinação da febre aftosa, prevista para maio, começa nesta segunda-feira e prosseguirá até 14 de abril. A antecipação foi solicitada pelo secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Covatti Filho, e autorizada em parecer do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A dose da vacina segue a mesma das etapas anteriores, de 2 ml - a vacina passou a ser bivalente, permanecendo a proteção contra os vírus tipo A e O (removido tipo C).
"Estamos motivando nossos pecuaristas para que não deixem a vacinação do rebanho para a última hora. A mobilização é para que a imunização seja feita em sua maior parte até o final de março, permitindo às empresas terem gestão adequada de seus estoques e evitando falta da vacina pela procura de última hora", destaca Covatti Filho. Em todo o Rio Grande do Sul, a expectativa é que 12,6 milhões de animais sejam imunizados, entre bovinos e bubalinos de todas as idades. Os produtores devem comprar as doses necessárias para a vacinação do seu rebanho em casas agropecuárias credenciadas pela Secretaria da Agricultura (Seapdr). Após, deverão comprovar a vacinação através da apresentação da nota fiscal até 22 de abril.
A partir de hoje, a movimentação de bovídeos só poderá ser realizada mediante vacinação prévia da propriedade, obedecidos os prazos de carência. A antecipação faz parte da estratégia do Estado para ser declarado pelo Mapa como livre de aftosa sem vacinação, a fim de obter, em um segundo momento, o reconhecimento internacional dessa condição pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).
Até o momento, no Brasil, apenas os estados de Santa Catarina e Paraná conquistaram o status sanitário de zona livre de aftosa sem vacinação. A primeira etapa da vacinação do rebanho contra a aftosa ocorreu em maio de 2019 e envolveu 288.875 propriedades rurais com 12,6 milhões de bovinos e búfalos. Foram imunizados 12,5 milhões de animais, correspondendo a 99% do rebanho, em 279.879 estabelecimentos, que representam 96,89% das propriedades no Estado. A segunda etapa, em novembro, envolveu apenas bovinos e bubalinos na faixa etária de zero a 24 meses.
Comentários CORRIGIR TEXTO