Porto Alegre, segunda-feira, 09 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

mercado financeiro

09/03/2020 - 16h08min. Alterada em 09/03 às 16h07min

Bolsas da Europa tombam junto com petróleo; Stoxx 600 entra em bear market

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 7,44%, em 339,50 pontos

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 7,44%, em 339,50 pontos


JONATHAN HECKLER/JC
As bolsas da Europa registraram quedas expressivas nesta segunda-feira (9), dia marcado pelo mau humor generalizado nos mercados globais diante da "guerra de preços" no mercado petróleo. O índice pan-europeu Stoxx 600 entrou em bear market e fechou em queda de 7,44%, em 339,50 pontos.
As bolsas da Europa registraram quedas expressivas nesta segunda-feira (9), dia marcado pelo mau humor generalizado nos mercados globais diante da "guerra de preços" no mercado petróleo. O índice pan-europeu Stoxx 600 entrou em bear market e fechou em queda de 7,44%, em 339,50 pontos.
O índice chegou a bater mínima de 336.54 pontos. Há, ainda, peso do avanço das mortes por coronavírus, em meio à dificuldade dos países europeus em conter a propagação da doença.
No fim de semana, a Arábia Saudita decidiu aumentar a produção de petróleo e dar descontos aos compradores, em retaliação à Rússia que se negou, na semana passada, a fazer um acordo com a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) para ampliar os cortes de produção e suportar os preços, em meio aos impactos do coronavírus.
De acordo com a Julius Bear, o "negócio de xisto nos EUA parece mais sensível ao preço e provavelmente chegará ao ponto de estrangular a produção, com algumas empresas que provavelmente não sobreviverão. Já as receitas do petróleo da Rússia devem cair, mas o rublo flutuante suaviza parte do impacto". A Rússia disse nesta segunda que o país tem condições de enfrentar preços do barril de petróleo por período prolongado de até 10 anos.
O ING destaca o impacto do vírus na cadeia de suprimentos dos países na zona do euro "As interrupções na cadeia de suprimentos são grandes. À medida que as fábricas fecham, a produção se torna cada vez mais fragmentada em todo o mundo, e isso pode ter um impacto significativo na produção da zona do euro."
Em Londres, o índice FTSE 100 fechou em baixa de 7,69%, em 5.965,77 pontos. A mineradora Glencore caiu 12,33% e a BHP, 16,57%.
Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX caiu 7,94%, a 10.625,02 pontos. Os bancos alemães estiveram pressionados, como Deutsche Bank que tombou 12,41%, e o Commerzbank, que desabou 15,44%. Neste cenário de aversão a risco, dados positivos da indústria alemã ficaram em segundo plano, como a produção industrial de janeiro, que cresceu 3% ante dezembro.
Em Paris, o índice CAC 40 fechou em queda de 8,39%, em 4.707,91 pontos. A ação da Airbus caiu 9,56%.
Na Bolsa de Milão, o índice FTSE MIB registrou baixa de 11,17%, a 18.475,91 pontos, Destaque para os papéis da UniCredit, que caíram 13,44%.
Em Madri, o índice Ibex 35 caiu 7,96%, a 7.708,70 pontos. O índice PSI 20, de Paris, fechou em queda de 8,66%, a 4.266,88 pontos.