Porto Alegre, sábado, 26 de setembro de 2020.
Dia Nacional dos Surdos.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 26 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

habitação

- Publicada em 21h24min, 03/03/2020.

Caixa aposta em financiamento com taxa fixa

Construção civil teve forte alta no emprego ano passado

Construção civil teve forte alta no emprego ano passado


MARCELO G. RIBEIRO/arquivo/JC
Eduardo Lesina
A Caixa quer retomar o posto de "banco da habitação brasileiro". A instituição, que voltou a ser líder na concessão de financiamento para a casa própria, anunciou, no último mês, a criação de uma nova linha de crédito imobiliário com taxa fixa de até 9,75% ao ano. Em encontro no Sinduscon-RS, o superintendente regional de negócios de habitação da Caixa Econômica, Ricardo Bier Troglio, reuniu-se com empresários do setor para apresentar as mudanças.
A Caixa quer retomar o posto de "banco da habitação brasileiro". A instituição, que voltou a ser líder na concessão de financiamento para a casa própria, anunciou, no último mês, a criação de uma nova linha de crédito imobiliário com taxa fixa de até 9,75% ao ano. Em encontro no Sinduscon-RS, o superintendente regional de negócios de habitação da Caixa Econômica, Ricardo Bier Troglio, reuniu-se com empresários do setor para apresentar as mudanças.
Atualmente, a Caixa detém aproximadamente 70% do mercado de crédito imobiliário, somando R$ 464 bilhões em toda a sua carteira. A reorganização das contas do banco, a estabilidade no controle da inflação e nas taxas de juros, assim como a diminuição do desemprego, serviram de alavanca na aquisição de imóveis diante da demanda reprimida.
Em 2019, o setor da construção civil cresceu 315% a quantidade de novos empregos gerados, apontando para uma nova crescente no segmento. Esses fatores explicam o lançamento do novo modelo de crédito, mas também reforçam o objetivo da Caixa Econômica de retomar o posto na questão habitacional brasileira. No último ano, já de retomada do banco, mais de 103 mil financiamentos foram realizados. A grande novidade é a criação da taxa fixa, entre 8% e 9,75%, que garante ao consumidor o pagamento de um mesmo valor por parcela em até 30 anos. Além disso, Troglio e o superintendente executivo de habitação, Jairo Antonio Manfro, apresentaram dados sobre a retomada da Caixa ao posto de líder em concessão de crédito imobiliário no último ano. Em 2019, o banco já tinha anunciado uma linha de crédito atualizada pelo IPCA, que também motivou o setor da construção civil.
Para o presidente do Sinduscon-RS, Aquiles Dal Molin Jr., as novidades se somam às expectativas positivas do setor imobiliário, uma vez que abre mais opções de financiamento. "Com a redução das parcelas haverá opções de financiamento de baixa renda, uma vez que algumas pessoas que antes não passavam na análise de crédito poderão passar. Acreditamos que o setor vai se desenvolver muito no ano que vem", afirmou Dal Molin Jr. Com o foco no Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), a Caixa Econômica Federal apresentou, em 2019, um crescimento duas vezes maior na concessão de crédito imobiliário em comparação com 2018, passando de R$ 13 bilhões para R$ 26,6 bilhões. Após o lançamento da taxa fixa, a Caixa passa a contar com três linhas de crédito SBPE: a tradicional, TR 6,5% ao ano; IPCA, com taxas de juros a partir de 2,95% ao ano; e a taxa fixa, de 9,75% ao ano. "As outras duas modalidades, mesmo com a TR sem variação, não trazem a previsibilidade ao longo de 30 anos. A taxa fixa traz essa estabilidade ao consumidor". Troglio afirma que as modalidades são indicadas caso a caso, assim o consumidor deve buscar o que mais se encaixa no seu orçamento.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO