Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 04 de fevereiro de 2020.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

04/02/2020 - 15h03min. Alterada em 04/02 às 15h03min

Bolsas da Europa fecham em alta em 2º dia de injeção de liquidez do BC da China

O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o dia em alta de 1,64%, a 418,46 pontos.

O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o dia em alta de 1,64%, a 418,46 pontos.


JONATHAN HECKLER/JC
As bolsas da Europa fecharam em alta nesta terça-feira, (4), na esteira do movimento de recuperação visto ontem, após uma semana de baixas com a expansão do coronavírus. Apesar das notícias de mais casos fora da China, com a Bélgica reportando a chegada do vírus, investidores responderam com bom humor a nova ação do Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês) que continuou fornecendo ampla liquidez ao sistema financeiro, numa tentativa de aliviar o impacto da epidemia de coronavírus. O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o dia em alta de 1,64%, a 418,46 pontos.
As bolsas da Europa fecharam em alta nesta terça-feira, (4), na esteira do movimento de recuperação visto ontem, após uma semana de baixas com a expansão do coronavírus. Apesar das notícias de mais casos fora da China, com a Bélgica reportando a chegada do vírus, investidores responderam com bom humor a nova ação do Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês) que continuou fornecendo ampla liquidez ao sistema financeiro, numa tentativa de aliviar o impacto da epidemia de coronavírus. O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o dia em alta de 1,64%, a 418,46 pontos.
Em Londres, o índice FTSE 100 avançou 1,55%, a 7.439,82 pontos. As ações da BP subiram 4,16%, após divulgação de resultados do quarto trimestre de 2019. Contribuiu para o avanço das ações de petroleiras a alta dos preços do petróleo, em mais um dia de rumores sobre cortes de 500 mil barris por dia na produção da commodity, por parte da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) em reunião que poderia ser antecipada, A Rússia, no entanto, tem se mostrado contrária a novos cortes.
Hoje, o mercado acionário do Velho Continente acompanhou a alta nas bolsas da Ásia após a injeção de capital do PBoC pelo segundo dia consecutivo. A percepção dos investidores é de que o surto de coronavírus terá impactos limitados sobre a economia global.
O Danske Bank, por exemplo, aponta que há "sinais crescentes" de que a disseminação do coronavírus tem diminuído. "Embora o número de infectados continue a crescer, o aumento porcentual está diminuindo. Isso nos sugere que a taxa de contágio diminuiu e, portanto, as medidas drásticas adotadas pelas autoridades chinesas estão começando a funcionar", apontam os analistas.
O índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, fechou em alta de 1,81%, aos 13.281,74 pontos, Destaque para os papéis da Lufthansa avançaram 3,27% e os da Volkswagen subiram 2,63%. Em Paris, o índice CAC 40 avançou 1,76%, a 5.935,05 pontos, no maior nível do dia. Societé Generale subiu 1,20% e ArcelorMittal, produtora de aço, ganhou 5,38%.
O índice FTSE MIB, da Bolsa de Milão, subiu 1,64%, a 23.844,85 pontos. Em Madri, o índice Ibex 35 avançou 1,68%, a 9.562,90 pontos. O PSI 20, de Lisboa, subiu 0,75%, a 5.264,14 pontos.
Investidores também acompanharam a divulgação do índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) da zona do euro de dezembro, que ficou estável em relação a novembro, conforme o previsto.
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia