Porto Alegre, sábado, 26 de setembro de 2020.
Dia Nacional dos Surdos.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 26 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

comércio exterior

- Publicada em 03h00min, 04/02/2020.

Balança comercial de janeiro tem déficit de US$ 1,7 bi

Embarques caíram 20,2% em relação ao mesmo mês de 2019

Embarques caíram 20,2% em relação ao mesmo mês de 2019


ABICALÇADOS/DIVULGAÇÃO/JC
A balança comercial brasileira de janeiro registrou o pior resultado para o mês desde 2015. O déficit de U$ 1,7 bilhão foi puxado pela queda do valor das exportações, segundo informou o Ministério da Economia. As exportações caíram 20,2% em relação ao mesmo mês de 2019, principalmente pelos resultados das plataformas de petróleo e de petróleo bruto.
A balança comercial brasileira de janeiro registrou o pior resultado para o mês desde 2015. O déficit de U$ 1,7 bilhão foi puxado pela queda do valor das exportações, segundo informou o Ministério da Economia. As exportações caíram 20,2% em relação ao mesmo mês de 2019, principalmente pelos resultados das plataformas de petróleo e de petróleo bruto.
O Ministério da Economia ressaltou alguns pontos que causaram o resultado em janeiro. Além da queda nas exportações de plataformas de petróleo e de petróleo bruto, a pasta também elencou as reduções em commodities explicados pela baixa demanda chinesa. O milho e a soja registraram queda de U$ 270 milhões e U$ 255 milhões, respectivamente.
O subsecretário de Inteligência e Estatísticas de Comércio Exterior, Herlon Brandão, explicou a redução de U$ 1,3 bilhão no caso das plataformas de petróleo. Segundo ele, em janeiro do ano passado, o Brasil exportou uma plataforma de petróleo e neste ano importou duas plataformas, causando o desequilíbrio na comparação. No caso do petróleo bruto, o subsecretário afirmou que o mercado é volátil e está diante de uma demanda fraca e preços baixos.
"Tivemos um grande embarque de petróleo em dezembro, tivemos um janeiro um pouco mais fraco, pode ser que janeiro possa ter um volume mais significativo. É muito volátil, esse volume se concentra em alguns meses e precisamos observar períodos maiores para se fazer uma leitura." As exportações para a China, principal parceiro comercial do Brasil, caíram 9,3% quando comparadas ao mesmo mês de 2019. Foram U$ 3,6 bilhões este ano contra U$ 4 bilhões em janeiro do ano passado. Segundo o Ministério da Economia, os chineses diminuíram a demanda pelo milho e soja e impactaram negativamente os preços internacionais. Herlon Brandão negou que o coronavírus tenha afetado o comércio com a China. Segundo ele, a queda nas exportações é melhor explicada pelo atraso no plantio e na colheita do produto neste ano.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO