Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 31 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Petróleo

Alterada em 31/01 às 13h29min

Petrobras continua operação para ancorar plataforma P-70 após ventania

O navio, que foi produzido na China, chegou na sexta-feira passada (24) ao Rio de Janeiro

O navio, que foi produzido na China, chegou na sexta-feira passada (24) ao Rio de Janeiro


ANDRÉ MOTTA DE SOUZA/AGÊNCIA PETROBRAS/DIVULGAÇÃO/JC
A Petrobras continua nesta manhã a operação para ancorar a plataforma P-70, que após uma ventania na noite de quinta-feira (30) se deslocou da Baía de Guanabara e foi parar muito perto da orla da praia de Boa Viagem, em Niterói (RJ). Rebocadores ainda estão no local nesta sexta-feira (31).
A Petrobras continua nesta manhã a operação para ancorar a plataforma P-70, que após uma ventania na noite de quinta-feira (30) se deslocou da Baía de Guanabara e foi parar muito perto da orla da praia de Boa Viagem, em Niterói (RJ). Rebocadores ainda estão no local nesta sexta-feira (31).
A Marinha vai abrir um inquérito para apurar as causas do incidente. Segundo a Petrobras, ninguém se feriu com o deslocamento da plataforma, que pesa 78 mil toneladas.
O navio, que foi produzido na China, chegou na sexta-feira passada (24) ao Rio de Janeiro. A plataforma saiu do estaleiro oriental da COOEC em Qingdao em 9 de dezembro e será conduzida agora para o campo de Atapu, no pré-sal da Bacia de Santos.
A perspectiva de produção é de 150 mil barris de óleo e 6 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia. A previsão é que a unidade entre em operação ainda no primeiro semestre.
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia