Porto Alegre, quarta-feira, 22 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 22 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

energia

- Publicada em 14h53min, 23/01/2020. Atualizada em 15h41min, 23/01/2020.

Em crise financeira, CEEE anuncia plano de investimentos de R$ 3,185 bilhões

O executivo já derrubou a exigência de um plebiscito popular para aprovar a alienação da companhia

O executivo já derrubou a exigência de um plebiscito popular para aprovar a alienação da companhia


FERNANDO C. VIEIRA/CEEE/DIVULGAÇÃO/JC
O grupo estatal de energia elétrica CEEE divulgou um plano de investimentos que soma R$ 3,185 bilhões entre 2020 e 2024, considerando os desembolsos previstos para a distribuidora Companhia Estadual de Distribuição de Energia (CEEE-D) e a Companhia Estadual de Geração e Transmissão de Energia Elétrica (CEEE-GT). A origem dos recursos para executar o plano não foi informada. A CEEE enfrenta uma crise financeira, assim como o Rio Grande do Sul, que prevê a desestatização das empresas como parte de seu plano de recuperação fiscal.
O grupo estatal de energia elétrica CEEE divulgou um plano de investimentos que soma R$ 3,185 bilhões entre 2020 e 2024, considerando os desembolsos previstos para a distribuidora Companhia Estadual de Distribuição de Energia (CEEE-D) e a Companhia Estadual de Geração e Transmissão de Energia Elétrica (CEEE-GT). A origem dos recursos para executar o plano não foi informada. A CEEE enfrenta uma crise financeira, assim como o Rio Grande do Sul, que prevê a desestatização das empresas como parte de seu plano de recuperação fiscal.
A intenção do governo estadual é realizar a privatização das empresas no segundo semestre deste ano, vendendo em separado os ativos de geração e transmissão da concessionária de distribuição, mais problemática e deficitária. O executivo já conseguiu derrubar a exigência de um plebiscito popular para aprovar a alienação da companhia, pavimentando o caminho para a operação.
Ainda que um novo controlador assuma a maior parte dos investimentos previstos para o quinquênio, somente em 2020 os planos das duas companhias preveem desembolsos de R$ 410 milhões, sendo R$ 204,7 milhões na CEEE-D. A concessionária de distribuição anotou no terceiro trimestre deste ano um excesso de passivos sobre os ativos circulantes de R$ 3,352 bilhões.
No total, na CEEE-D, os investimentos planejados somam R$ 1,087 bilhão ao longo dos próximos cinco anos. Para este ano, estão previstos R$ 204,6 milhões, sendo que a maior parcela, de R$ 148,28 milhões, será aplicada em expansão e outros R$ 52,04 milhões serão direcionados à modernização e renovação. Para os próximos anos, o valor oscila para R$ 191,87 milhões em 2021, R$ 197,32 milhões em 2022, subindo para R$ 256,4 milhões em 2023 e R$ 237,04 milhões em 2024.
Já na CEEE-GT, o plano de investimento prevê um total de R$ 2,098 bilhões entre 2020 e 2024, dos quais R$ 1,613 bilhões serão direcionados ao segmento de Transmissão e R$ 484,9 milhões serão desembolsados para geração. Somente para 2020 estão previstos R$ 206 milhões, dos quais R$ 173,8 milhões em transmissão. Os maiores volumes serão desembolsados em 2021 (R$ 688,87 milhões); 2022 (R$ 576,26 milhões) e 2023 (R$ 198,07 milhões).
Comentários CORRIGIR TEXTO