Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 23 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Consumo

Edição impressa de 23/01/2020. Alterada em 23/01 às 03h00min

Consulta de linhas pré-pagas pelo CPF já é válida em todo o País

Medida vale para os celulares das prestadoras Algar, Claro, Oi, Sercomtel, TIM e Vivo

Medida vale para os celulares das prestadoras Algar, Claro, Oi, Sercomtel, TIM e Vivo


BENZOIX - FREEPIK.COM/DIVULGAÇÃO/JC
Desde esta quarta-feira, os usuários de todo o País podem consultar as linhas pré-pagas e verificar a possibilidade de cadastros indevidos. A consulta feita por meio do CPF, que já estava valendo para os consumidores das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, também será estendida aos clientes de telefonia móvel das regiões Sul e Sudeste.
Desde esta quarta-feira, os usuários de todo o País podem consultar as linhas pré-pagas e verificar a possibilidade de cadastros indevidos. A consulta feita por meio do CPF, que já estava valendo para os consumidores das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, também será estendida aos clientes de telefonia móvel das regiões Sul e Sudeste.
As empresas de telecomunicação brasileiras disponibilizaram, em parceria com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), um site para que o usuário possa consultar. O consumidor da linha pré-paga que quiser fazer consulta para verificar a ocorrência de fraudes com linhas associadas indevidamente ao seu CPF deve acessar o portal.
A consulta vale para os celulares das prestadoras Algar, Claro, Oi, Sercomtel, TIM e Vivo. De acordo com a Anatel, a medida vai possibilitar ao consumidor verificar a linha pré-paga em seu nome. Caso contrário, o usuário pede o cancelamento. "Hoje, no Brasil, há cerca de 135 milhões de celulares pré-pagos, e, destes, três acessos a cada mil apresentam inconsistências cadastrais", informou a agência.
O pedido de cancelamento feito pelo consumidor deverá ser atendido em até 24 horas, caso a solicitação seja executada por meio de atendente, e até 48 horas se solicitada automaticamente (no call center ou no portal da prestadora, sem a intervenção humana).
A Anatel destaca que o serviço não traz informações para quem possui linhas de celular pós-pagas. A página também disponibiliza orientações para quem identificar a existência de linhas cadastradas indevidamente em seu nome. Nesse caso, o cliente deverá entrar em contato com a operadora para correção das informações.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia