Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 16 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

investimento

Edição impressa de 16/01/2020. Alterada em 16/01 às 03h00min

Para Leite, aporte do BRDE aumenta competitividade gaúcha

Eduardo Lesina
urante o lançamento oficial do programa BRDE Promove Sul, ocorrido nessa quarta-feira no Palácio Piratini, o governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite valorizou o caráter empreendedor do povo gaúcho e afirmou que os recursos a recebidos vão fomentar ainda mais o projeto de desenvolvimento do Estado. O programa do BRDE destinou R$ 300 milhões ao Rio Grande do Sul, dos R$ 900 milhões direcionados à Região Sul.
urante o lançamento oficial do programa BRDE Promove Sul, ocorrido nessa quarta-feira no Palácio Piratini, o governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite valorizou o caráter empreendedor do povo gaúcho e afirmou que os recursos a recebidos vão fomentar ainda mais o projeto de desenvolvimento do Estado. O programa do BRDE destinou R$ 300 milhões ao Rio Grande do Sul, dos R$ 900 milhões direcionados à Região Sul.
Na companhia do secretário estadual de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Ruy Irigaray (PSL), e do vice-presidente do BRDE, Luiz Corrêa Noronha, Leite afirmou que, mesmo com os problemas financeiros do do governo, o Estado do Rio Grande do Sul é forte: "nós temos um Estado com força, de gente capacitada e com disposição para o trabalho e para o empreendedorismo".
Conforme Noronha, o programa une duas políticas estratégicas do BRDE: a diversificação de financiamentos e o fomento ao desenvolvimento local. Os recursos vieram do fundo de caixa do banco e já estão disponíveis.
Com prazo máximo de amortização de 20 anos e uma taxa média próxima da Selic mais 4%, cerca de 8,5% ao ano, o programa Promove Sul tem como prioridade de ação as áreas de: modernização e expansão da atividade produtiva, inovação ou atualização tecnológica, armazenagem de grãos no Estado, geração de energias renováveis e tratamento de efluentes.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia