Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 15 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

COMÉRCIO EXTERIOR

15/01/2020 - 09h42min. Alterada em 15/01 às 10h06min

'Notícia bem recebida', diz Bolsonaro sobre EUA priorizarem Brasil na OCDE

Depois de sinalizar em prol da Argentina, governo americano priorizou ingresso do Brasil no órgão

Depois de sinalizar em prol da Argentina, governo americano priorizou ingresso do Brasil no órgão


JIM WATSON/AFP/JC
O presidente Jair Bolsonaro disse nesta manhã que a intenção dos Estados Unidos de priorizar a entrada do Brasil na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) "é uma notícia bem recebida". O presidente disse que já conversou com o ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre o assunto, mas quis falar sobre um prazo para a entrada do País no organismo. "São mais de 100 requisitos, estamos bastante adiantados, na frente da Argentina", disse Bolsonaro.
O presidente Jair Bolsonaro disse nesta manhã que a intenção dos Estados Unidos de priorizar a entrada do Brasil na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) "é uma notícia bem recebida". O presidente disse que já conversou com o ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre o assunto, mas quis falar sobre um prazo para a entrada do País no organismo. "São mais de 100 requisitos, estamos bastante adiantados, na frente da Argentina", disse Bolsonaro.
Na terça-feira (14), a embaixada dos EUA em Brasília e um porta-voz do Departamento de Estado americano afirmaram em nota que "os EUA querem que o Brasil seja o próximo país a começar o processo de adesão para a OCDE".
Bolsonaro não quis falar sobre se vinha tratando do tema com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Ele comentou que as conversas que mantém com chefes de Estado são reservadas.
O presidente destacou ainda que essa intenção dos EUA sinaliza que o mundo está recuperando a confiança no País. "Estamos mostrando que o Brasil é um país viável", disse Bolsonaro. As declarações do presidente foram feitas na frente do Palácio da Alvorada, onde o mandatário falou com a imprensa e tirou fotos com apoiadores.
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia