Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 15 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Indústria

Edição impressa de 15/01/2020. Alterada em 15/01 às 03h00min

Petrobras irá desativar fábrica de fertilizantes no Paraná

Unidade em Araucária tem prejuízo anual

Unidade em Araucária tem prejuízo anual


AGÊNCIA PETROBRas/DIVULGAÇÃO/JC
A Petrobras anunciou, nesta terça-feira, que desistiu de vender a subsidiária Araucária Nitrogenados S.A. (Ansa/Fafen-PR) e aprovou a hibernação da fábrica de fertilizantes localizada na cidade de Araucária, no Paraná. Segundo nota, a empresa vem apresentando recorrentes prejuízos desde que foi adquirida, em 2013.
A Petrobras anunciou, nesta terça-feira, que desistiu de vender a subsidiária Araucária Nitrogenados S.A. (Ansa/Fafen-PR) e aprovou a hibernação da fábrica de fertilizantes localizada na cidade de Araucária, no Paraná. Segundo nota, a empresa vem apresentando recorrentes prejuízos desde que foi adquirida, em 2013.
De acordo com a empresa, os resultados da Ansa, historicamente, demonstram a falta de sustentabilidade do negócio. "Somente de janeiro a setembro de 2019, a Araucária gerou um prejuízo de quase R$ 250 milhões. Para o final de 2020, as previsões indicam que o resultado negativo pode superar R$ 400 milhões."
Ainda conforme a petrolífera, no contexto atual de mercado, a matéria-prima utilizada na fábrica (resíduo asfáltico) está mais cara do que seus produtos finais (amônia e ureia) e as projeções para o negócio continuam negativas. A Ansa é a única fábrica de fertilizantes do País que opera com esse tipo de matéria-prima.
A empresa informou, ainda, que desligará os 396 empregados da fábrica. Eles receberão, além das verbas de rescisórias, um pacote adicional entre R$ 50 mil e R$ 200 mil, proporcional à remuneração e ao tempo trabalhado, além de outros benefícios.
A estatal afirmou, também, que a Ansa está em fase final de negociação de convênio para oferecer programas de capacitação e requalificação profissional para as comunidades que ficam no entorno da fábrica, no município de Araucária. "Serão oferecidas mil vagas para moradores destas comunidades", apontou.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia