Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 13 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura

13/01/2020 - 17h54min. Alterada em 13/01 às 17h54min

Vendas de livros crescem no Natal, mas mercado editorial encolhe em 2019

O volume de livros vendidos também cresceu na comparação anual

O volume de livros vendidos também cresceu na comparação anual


CLAITON DORNELLES /JC
É aquela velha história de ver o copo meio cheio ou meio vazio. Ao olhar os números do último mês de dezembro, otimistas podem dize rque as vendas de livros no Brasil aumentaram e mostram um mercado em recuperação após uma série de tombos. Já ao analisar o consolidado do ano, porém, pessimistas vão alegar que a retomada é tímida e que o setor encolheu em 2019.
É aquela velha história de ver o copo meio cheio ou meio vazio. Ao olhar os números do último mês de dezembro, otimistas podem dize rque as vendas de livros no Brasil aumentaram e mostram um mercado em recuperação após uma série de tombos. Já ao analisar o consolidado do ano, porém, pessimistas vão alegar que a retomada é tímida e que o setor encolheu em 2019.
Os dados são da pesquisa Painel do Varejo de Livros no Brasil, produzida pela Nielsen e pelo Snel, o Sindicato Nacional dos Editores de Livros, e divulgados nesta segunda-feira (13).
Ao colocar a lupa sobre dezembro, o mercado editorial registrou um faturamento de cerca de R$ 188 milhões- valor 6,61% superior em relação ao mesmo mês de 2018. O volume de livros vendidos também cresceu. Foram 4,6 milhões de exemplares--aumento de 12,37% em relação a dezembro de 2018.
Além da recuperação, os dois crescimentos têm relação também com um fim de 2018 de vendas baixas. Na época, as duas maiores redes de livrarias do país, Saraiva e Cultura, viviam o ápice de suas crises financeiras, fechavam lojas e entravam emrecuperação judicial.
Ao olhar os números acumulados no ano, porém, o otimismo parece frágil. Ao compararos faturamentos de 2019 e de 2018, a queda foi 6,21% no ano passado. O mercado faturou cerca de R$ 1,7 bilhão em 2019 (R$ 115 milhões a menos do que em 2018). O volume de vendas também foi menor em 2019-- decréscimo de 6,35% se comparado ao ano anterior.
Se o consolidado de 2019 apresentou queda no faturamento e no volume, o mesmo não havia sido registrado no período anterior. Apesar de uma crise financeira que já dura anos, o mercado tinha registrado em 2018 crescimento de 4,59% no faturamento e de 1,32% nas vendas em relação a 2017, segundo dados da mesma pesquisa, que é feita desde 2015.
Folhapress
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia