Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 09 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Turismo

09/01/2020 - 16h15min. Alterada em 09/01 às 16h39min

Snowland terá que indenizar casal goiano que se acidentou em moto neve

Parque temático oferece várias atrações na neve artificial

Parque temático oferece várias atrações na neve artificial


Amanda Jansson Breitsameter/Especial/JC
O parque temático Snowland, de Gramado, deverá pagar R$ 17 mil a um casal de goianos, a título de indenização, por danos extrapatrimoniais, em razão de ambos terem sofrido acidente ao transitarem em uma motoneve. A mulher quebrou o braço e o punho esquerdo, já o marido dela fraturou o ombro direito. A decisão é do juiz Salomão Afiune, do 3º Juizado Especial Cível da comarca de Goiânia.
O parque temático Snowland, de Gramado, deverá pagar R$ 17 mil a um casal de goianos, a título de indenização, por danos extrapatrimoniais, em razão de ambos terem sofrido acidente ao transitarem em uma motoneve. A mulher quebrou o braço e o punho esquerdo, já o marido dela fraturou o ombro direito. A decisão é do juiz Salomão Afiune, do 3º Juizado Especial Cível da comarca de Goiânia.
Os autores estavam a passeio em Gramado quando visitaram o parque temático em 2015. Durante a visitação, os dois fizeram o passeio no veículo ao redor da montanha de neve artificial. Numa descida, a moto ganhou maior velocidade, o que fez com que a mulher não conseguisse fazer a curva, vindo a colidir de frente com uma parede de pneus.
Segundo o processo, com o impacto, a requerente foi arremessada cerca de 3 metros, vindo a cair com as costas na neve. Em decorrência do acidente, a autora quebrou o braço e o punho esquerdo. Além de assistir a cena, o marido dela, que estava logo atrás, desembarcou da moto que conduzia e correu em direção de sua esposa, momento em que deslizou na neve e caiu, fraturando o ombro direito.
De acordo com o juiz, o acidente dos dois nas dependências do parque ficou evidente nos autos através de fotocópia das passagens aéreas, reservas de hotel, comprovantes de ingressos e fotos no local. “Ficou evidente no processo que os autores sofreram danos em decorrência da falta de segurança na pista de gelo do parque de diversão”, destacou Afiune.
O magistrado ressaltou, ainda, que é evidente que uma queda em uma pista de gelo, com fraturas e luxações, causa às vítimas dano de natureza extrapatrimonial, seja pelo constrangimento ou dor física. “Não tendo demonstrado nenhuma causa excludente de sua responsabilidade, o requerido deve ser responsabilizado. Além disso, não consta que o requerido, após tomar conhecimento do acidente, tenha tomado as devidas providências para amenizar a dor dos autores”, frisou.
Em nota, o Snowland informou que a atração motoneve já foi desativada e que cumprirá a decisão da justiça de indenizar o casal. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia