Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 14 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Telecomunicações

02/01/2020 - 15h19min. Alterada em 02/01 às 15h47min

Sistema de bloqueio para ligações de oferta de crédito consignado começa a valer

Pelo site 'Não me Perturbe', o usuário pode pedir o bloqueio de ligações com oferta de consignado

Pelo site 'Não me Perturbe', o usuário pode pedir o bloqueio de ligações com oferta de consignado


PATRICIA COMUNELLO/ESPECIAL/JC
Começou a valer a nesta quinta-feira (2) o Sistema de Autorregulação de Operações de Empréstimo Pessoal e Cartão de Crédito com Pagamento Mediante Consignação. Uma das mudanças, desenvolvida em parceria entre a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e a Associação Brasileira de Bancos (ABBC), é o sistema de bloqueio para os clientes bancários que não queiram receber ligações de oferta do produto.
Começou a valer a nesta quinta-feira (2) o Sistema de Autorregulação de Operações de Empréstimo Pessoal e Cartão de Crédito com Pagamento Mediante Consignação. Uma das mudanças, desenvolvida em parceria entre a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e a Associação Brasileira de Bancos (ABBC), é o sistema de bloqueio para os clientes bancários que não queiram receber ligações de oferta do produto.
O site "Não me Perturbe", que já tinha a participação de empresas de telecomunicações, passa a contar com a adesão dos bancos integrantes da autorregulação. Trinta dias após realizado o cadastro do telefone fixo ou móvel no sistema "Não me Perturbe", tanto os bancos quanto os correspondentes por eles contratados não poderão fazer nenhuma oferta de operação de crédito consignado.
O bloqueio valerá por um ano e o cliente poderá escolher se bloqueia instituições financeiras específicas, ou, ainda, todo um segmento - o setor bancário e/ou telecomunicações.
"O objetivo da Autorregulação do Crédito Consignado é aumentar a proteção dos consumidores e aperfeiçoar a oferta de crédito consignado no País, uma importante modalidade de crédito e ferramenta de inclusão financeira, com custos mais reduzidos em relação a outras linhas de crédito", afirma Amaury Oliva, diretor de Autorregulação da Febraban.
No site da Autorregulação Bancária é possível encontrar informações sobre o sistema de bloqueio, e o redirecionamento para o site do "Não me Perturbe", além de detalhes sobre a nova Autorregulação do Crédito Consignado.
Além do sistema de bloqueio para ligações indesejadas, a Autorregulação do Crédito Consignado prevê a criação de uma base de dados para o monitoramento de reclamações motivadas pela oferta inadequada do produto. Outra medida será a exigência de certificação de todos os integrantes da equipe do correspondente que se relacionam com o cliente durante a contratação do crédito consignado. Atualmente, o Banco Central exige que os correspondentes tenham pelo menos uma pessoa certificada.
A adesão à Autorregulação foi voluntária por parte dos bancos. Participam do sistema as seguintes instituições: Agibank, Banco Alfa e Financeira Alfa S.A., Banco BMG, Banco Cetelem, Banco Daycoval, Banco Digio, Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Banco Estrela Mineira, Banco Inter, Banco Mercantil e Mercantil Financeira, Bancoob, Banco Pan, Banrisul, Barigui, Bradesco e Bradesco Financiamentos, BRB - Banco de Brasília, BV Financeira, Caixa, CCB Brasil, Facta Financeira, Itaú Unibanco e Itaú Consignado S.A., Paraná Banco, Safra, Santander e Olé Bonsucesso, e Sicred. 
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia