Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 31 de dezembro de 2019.
Dia de São Silvestre.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Trabalho

Edição impressa de 31/12/2019. Alterada em 30/12 às 23h02min

Novo ano terá menos dias úteis do que 2019

Feriado de Sete de Setembro cai em uma segunda-feira, que permite emendar a folga com o domingo

Feriado de Sete de Setembro cai em uma segunda-feira, que permite emendar a folga com o domingo


CLAITON DORNELLES /JC
O ano de 2020 terá mais feriados em dias de semana e também mais fins de semana prolongados do que 2019. O que é uma boa notícia para a maioria das pessoas preocupa a indústria e o comércio, de um lado, mas é comemorado pelos segmentos ligados ao turismo, de outro. O próximo ano terá 251 dias úteis, dois a menos que 2019, e o número de feriados em dias da semana será maior: serão 10 contra oito. Mais que isso, serão seis dias de folga que poderão ser emendados com sábado e domingo, contra dois em 2019.
O ano de 2020 terá mais feriados em dias de semana e também mais fins de semana prolongados do que 2019. O que é uma boa notícia para a maioria das pessoas preocupa a indústria e o comércio, de um lado, mas é comemorado pelos segmentos ligados ao turismo, de outro. O próximo ano terá 251 dias úteis, dois a menos que 2019, e o número de feriados em dias da semana será maior: serão 10 contra oito. Mais que isso, serão seis dias de folga que poderão ser emendados com sábado e domingo, contra dois em 2019.
Esse efeito calendário terá influência na atividade econômica. O brasileiro vai folgar mais e trabalhar menos no próximo ano. A retomada do crescimento mais forte da economia em 2020 é esperada pelo governo, analistas e bancos. Segundo o boletim Focus, do Banco Central, a economia brasileira poderá crescer 2,25% no ano que vem. O BC revisou a previsão de crescimento de 2020 de 1,8% para 2,2%. Com menos folgas, a expansão poderia ser maior.
Segundo o gerente de pesquisa industrial do IBGE, André Macedo, a maior ou a menor presença de dias úteis influencia a indústria. "O maior número de feriados não atinge setores de produção contínua, como o siderúrgico e o de óleo e gás, mas afeta o de automóveis e o de eletrodomésticos." Para ele, porém, o mais importante é se a economia estará ou não aquecida.
O economista-chefe da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Flávio Castelo Branco, diz que há queda da produtividade: os trabalhadores folgam no feriado, mas recebem. "Você produz menos, seu custo não cai e há impacto na contabilidade das empresas. O PIB (Produto Interno Bruto) pode não refletir as horas trabalhadas, mas registra o ritmo de produção e o faturamento."
Segundo o Ministério do Turismo, no ano passado, feriados prolongados resultaram em 13,9 milhões de viagens domésticas, injeção de R$ 28,84 bilhões na economia. Os feriados de maio movimentaram R$ 9 bilhões e 4,5 milhões de viagens. Em 12 de outubro (Dia de Nossa Senhora Aparecida) foram 3,24 milhões de viagens, com impacto de R$ 6,7 bilhões nos destinos nacionais visitados. "Para o turismo, qualquer feriado nacional é ótimo. Movimenta o turismo interno, que também está sendo ajudado pelo dólar alto", diz Alexandre Sampaio, presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação.
A Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav Nacional) calcula alta entre 8% e 14% no movimento em anos com muitos feriados. As pessoas tendem a fazer mais viagens ao longo do ano, mesmo que sejam curtas e para destinos próximos de casa. A demanda não fica concentrada nas grandes temporadas.
O presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto de Castro, acredita que, se o ano começar sinalizando expansão do mercado doméstico, feriadões podem perder força. As empresas querem produzir e os trabalhadores têm medo de perder seus empregos. "No comércio exterior, o impacto deve ser quase nulo."

Confira os feriados em 2020 no Rio Grande do Sul

  • 1 de janeiro (quarta-feira): Ano-Novo
  • 25 de fevereiro (terça-feira): Carnaval
  • 10 de abril (sexta-feira): Sexta-feira Santa
  • 21 de abril (terça-feira): Tiradentes
  • 1 de maio (sexta-feira): Dia do Trabalho
  • 11 de junho (quinta-feira): Corpus Christi
  • 7 de setembro (segunda-feira): Independência
  • 20 de setembro (domingo): Revolução Farroupilha
  • 12 de outubro (segunda-feira): Nossa Senhora Aparecida
  • 2 de novembro (segunda-feira): Finados
  • 15 de novembro (domingo): Proclamação da República
  • 25 de dezembro (sexta-feira): Natal
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia