Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 02 de dezembro de 2019.
Dia Nacional do Astrônomo. Dia do Samba. Dia Pan-Americano da Saúde.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Varejo

Edição impressa de 02/12/2019. Alterada em 02/12 às 03h00min

Black Friday teve melhor resultado em 10 anos

De acordo com a CNC, arrecadação da data chegou a R$ 3,67 bilhões

De acordo com a CNC, arrecadação da data chegou a R$ 3,67 bilhões


/LUIZA PRADO/JC

Mesmo com a economia se recuperando a passos lentos, a expectativa da Confederação Nacional do Comércio (CNC) é que a Black Friday tenha sido a melhor data para o comércio este ano, superando o Dia das Mães e até mesmo o Natal. A arrecadação prevista é de R$ 3,67 bilhões, no maior faturamento para a campanha em 10 anos. Esse resultado é alavancado pela liberação do saque emergencial do FGTS e pela proximidade com o pagamento do 13º salário.

"Nenhuma das Black Fridays anteriores contou com essa receita extraordinária do FGTS. Além disso, estamos com a menor inflação em 21 anos, e os prazos nas operações de crédito aumentaram, com uma taxa de juros que não saiu muito de lugar. Tudo isso deve fazer com que essa seja a data com melhor desempenho no varejo em 2019", disse Fabio Bentes, economista da CNC.

Segundo Elias Almeida, gerente regional da Via Varejo, dona das marcas Casas Bahia, Ponto Frio e do site de e-commerce Extra.com.br, os itens mais procurados este ano foram televisão e celular. "A expectativa era muito grande, e nos preparamos o ano inteiro para este dia. Estamos dando descontos de até 70% e boas condições de pagamento. Os preços mudam durante o dia, chegando novas ofertas", disse Elias.

De 00h até as 18h de sexta-feira (29), a Compre&Confie, empresa de inteligência de mercado com dados do varejo on-line, rastreou R$ 3,6 bilhões em vendas nas lojas virtuais brasileiras, uma alta de 36% sobre o mesmo período de 2018. O número de pedidos, 4,8 milhões, foi 32% maior na mesma comparação.

Já a Ebit Nielsen, empresa de pesquisa de mercado e monitoramento de dados, informou que o faturamento do varejo online brasileiro ficou em R$ 3,2 bilhões na edição de 2019 da Black Friday. Os valores consideram as compras fechadas na quinta (28) e na sexta-feira (29).

Em 2018, as lojas online venderam R$ 2,6 bilhões. Descontada a inflação de 2,54% até outubro, o aumento foi de 20%. O valor médio das compras, no entanto, caiu de R$ 608 para R$ 602.

Em Porto Alegre, uma amostragem feita pelo Sindilojas, junto a 80 varejistas, aponta que o crescimento das vendas deve ser de 6% frente ao evento do ano passado. Segundo o presidente da entidade, Paulo Kruse, a expectativa é de que o balanço final ultrapasse este índice. "As empresas passaram a apostar na data e o público respondeu de forma muito positiva", afirma o dirigente.

Kruse destaca que o movimento nas lojas da cidade foi muito grande, consolidando a data como uma das mais importantes para o varejo. Ainda conforme o presidente do Sindilojas, o sucesso do evento deixou os varejistas otimistas para as vendas de Natal. "Esperamos este mesmo crescimento (de 6%) em relação ao período de 2018."

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia