Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 29 de novembro de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Varejo

28/11/2019 - 17h40min. Alterada em 29/11 às 14h54min

Havan instala réplica da Estátua da Liberdade em Viamão e abre filial no sábado

Viamão recebe a quinta filial da rede que tem como marca a réplica da estátua símbolo de Nova Iorque

Viamão recebe a quinta filial da rede que tem como marca a réplica da estátua símbolo de Nova Iorque


LUIZA PRADO/JC
Patrícia Comunello
A instalação da réplica da Estátua da Liberdade, com 35 metros de altura, foi a senha para anunciar que uma nova loja da rede catarinense Havan vai abrir. Desta vez, em Viamão, na Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA), que abre as portas às 9h deste sábado (30). A unidade fica na avenida Salgado Filho, 7277, na parada 49. O símbolo da rede terminou de ser instalado na noite dessa quarta-feira (27) e manhã desta quinta-feira (28).   
A instalação da réplica da Estátua da Liberdade, com 35 metros de altura, foi a senha para anunciar que uma nova loja da rede catarinense Havan vai abrir. Desta vez, em Viamão, na Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA), que abre as portas às 9h deste sábado (30). A unidade fica na avenida Salgado Filho, 7277, na parada 49. O símbolo da rede terminou de ser instalado na noite dessa quarta-feira (27) e manhã desta quinta-feira (28).   
A filial, a quinta da rede que já está em Passo Fundo (a primeira a abrir), Caxias do Sul, Santa Cruz do Sul e Santa Maria, tem 6,5 mil metros quadrados de área de vendas e 160 empregados. O investimento foi de R$ 25 milhões para erguer a operação. Depois de Viamão, Ijuí será a próxima cidade a ter uma filial, que será aberta no dia 14 de dezembro, informou o presidente da Havan, Luciano Hang. 
"É uma das maiores lojas do Brasil. Vou estar lá de manhã para receber os clientes", avisou o empresário, que faz questão de comparecer a cada nova inauguração, que é marcada pela decoração com temas verde e amarelo e músicas regionalistas, como Querência Amada, de Teixeirinha, que muitos consideram o segundo hino do Rio Grande do Sul.
Com a nova filial, a rede terminará o ano com seis pontos. Para 2020, Hang pretende abrir mais 14, elevando a 20 a rede em território gaúcho. Ele diz que os locais estão todos acertados. No País, a rede chegará a 141 filiais até dezembro, diz Hang. No ano que vem, a intenção é chegar a 165 estabelecimentos. "O Rio Grande do Sul será a maior base nos próximos anos em função das expansões", projeta o empresário, que já prometeu que inaugurará 50 unidades em cinco anos. 
Novas unidades estão em linha para serem concluídas ou que aguardam autorização de licenças do município ou de outros órgãos. Pelotas deve ter a sua filial em janeiro. Gravataí terá começo de obras este mês e deve abrir em três meses. Esteio e Guaíba estão em fase de projetos. 
Hang diz que quer estrear uma filial em Porto Alegre no primeiro semestre de 2020, que deve ser na avenida Assis Brasil, próximo à Fiergs. "Estou aguardando liberação da prefeitura", informa o dono da Havan. A operação deverá ter 20 mil metros quadrados. "Estamos vendo também áreas nas avenidas Cavalhada e Ipiranga. Cabe sete lojas na cidade", acredita o empresário.
A intenção era ter uma filial em Capão da Canoa ainda neste veraneio, para aproveitar a demanda de quem vai para as praias, mas a unidade ainda não começou a ser construída nas margens da Estrada do Mar. 
"Estamos aguardando o Departamento Estadual de Estradas de Rodagem (Daer) liberar o projeto para fazer o acesso à loja", diz Hang. "Se não tem essa autorização, a prefeitura não libera a licença", diz. Esse tipo de autorização do Daer também é aguardada em Rio Grande. Hang reclama que a liberação em outros casos, como Caxias do Sul, levou seis meses. Também é preciso pedir o aval ao órgão para transportar as estátuas. "É burocracia e falta de vontade. A estátua demorou a chegar a Caxias do Sul por causa disso. Só passa trabalho no Rio Grande do Sul. 
Hang espera fechar o ano com receita de R$ 11 bilhões, acima dos R$ 7,3 bilhões do ano passado. A evolução segue crescimento de 30% a 35% em mesmas lojas e 50%, incluindo as novas lojas.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia