Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 12 de novembro de 2019.
Dia do Supermercado. Dia Internacional da Qualidade.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

serviços

Alterada em 12/11 às 10h08min

Serviços recuam 2,3% no Rio Grande do Sul em setembro

Estado teve a segunda maior queda na comparação anual, especialmente pelo transporte de cargas

Estado teve a segunda maior queda na comparação anual, especialmente pelo transporte de cargas


MARCELO G. RIBEIRO/JC
O volume de serviços prestados voltou a cair no Rio Grande do Sul, recuando 2,3% em setembro frente ao mesmo mês de 2018. O desempenho, no entanto, foi positivo em relação a agosto deste ano, com avanço de 0,5%. No ano, o setor acumula queda de 2,0% e de 1,9% em 12 meses, segundo a Pesquisa Mensal de Serviços, divulgada nesta terça-feira (12) pelo IBGE.
O volume de serviços prestados voltou a cair no Rio Grande do Sul, recuando 2,3% em setembro frente ao mesmo mês de 2018. O desempenho, no entanto, foi positivo em relação a agosto deste ano, com avanço de 0,5%. No ano, o setor acumula queda de 2,0% e de 1,9% em 12 meses, segundo a Pesquisa Mensal de Serviços, divulgada nesta terça-feira (12) pelo IBGE.
Todos os segmentos avaliados mostraram queda no Estado na comparação anual. O segmento de Outros serviços foi o que mais sofreu (-3,6%), seguido de serviços prestados às famílias (-3,1%) e transportes (-2,7%). Também tiveram queda os serviços de informação e comunicação (-2,0%) e os serviços profissionais, administrativos e complementares (-1,5%).
{'nm_midia_inter_thumb1':'', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5c6f03d777ac4', 'cd_midia':8634598, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/gif/2019/02/21/banner_whatsapp_280x50px_branco-8634598.gif', 'ds_midia': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'ds_midia_credi': 'Thiago Machado / Arte JC', 'ds_midia_titlo': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '280', 'cd_midia_h': '50', 'align': 'Center'}
No Brasil, o setor apresentou dados melhores, com avanço de 1,2% em setembro frente a agosto e de 1,4% ante setembro de 2018, a quinta alta consecutiva no ano. O acumulado no ano foi de 0,6% e em 12 meses, de 0,7%.
Das 27 unidades da federação monitoradas, 14 apresentaram alta na comparação com agosto, e 11 das 27 frente a setembro de 2018. O Rio Grande do Sul teve a segunda maior queda na comparação anual (-2,3%), atrás da Bahia (-5,6%), especialmente, pelo ramo de transporte rodoviário de cargas, afirmou o IBGE.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia